Os The Black Mamba apresentaram “Dity Little Brother”, o seu segundo disco de originais, esta quarta-feira, dia 20 de janeiro na Casa da Música.

Com a Sala Suggia recheada de várias gerações, Pedro Taborda, mais conhecido por Tatanka, subiu ao palco passavam poucos minutos das 22h e deu início ao espetáculo com “Dity Little Brother“, que empresta nome ao novo disco.

Seguiu-se “Too Late“, “Sweet Lies“, “Yester Lovers” e “Canção de Mim Mesmo“,  com as batidas, com aqueles acordes, bem acompanhado ao saxofone, prometia uma noite repleta de boa música e bastante relaxante.

Num formato diferente daquele que nos tem vindo a apresentar, temos um Tatanka mais calmo que se deixa ir pelo flow e levar todos os fãs com ele sem nunca deixar de mexer com quem assiste seja pela sua voz característica, seja pelo domínio que tem na guitarra.

Chegou a hora do primeiro convidado da noite: Skyler Jett (Commodores), que colaborou com os The Black Mamba em dois temas. Um deles foi “Save My Day“. Se até então o que se ouvia pedia um assento, este tema pedia mesmo espaço para um pézinho de dança. Como se não bastasse este tema ser animado, a energia de Skyler contagiou tudo e todos ao ponto de pôr toda a sala Suggia de pé, a gingar e a bater palmas ao compasso da canção. Ouviu-se de seguida “Silent Thunder“, e de facto, o homem é um verdadeiro furacão, seja pela sua voz quer pela energia que brota. Todo ele é soul, funk, blues.

Chegou a hora de revisitar mais alguns temas bastante conhecidos do público geral: “It Ain’t You” e “I’ll Meet You There“. Claro que ra impossível não acompanhar Tatanka nas vozes. Ainda que a medo, o público foi perdendo a vergonha e a verdade é que Tatanka puxou bastante pelos fãs, pondo-os bastante à vontade, tornando aquele num espetáculo de amigos para amigos.

Miguel Araújo foi o segundo convidado da noite, onde interpretou “Darkest Hour“, um fado marroquino como gracejou Tatanka. E como não podia ficar por aqui, Marlon, dos Azeitonas, juntou-se aos colegas e amigos e interpretaram todos “Miúda” e “Tonto de Ti“. Todos os presentes, como é óbvio, tinham as canções todas na ponta da língua e aplaudiram fortemente os músicos.

O concerto estava a chegar ao fim. Para encerrar a primeira parte do concerto, ouviu-se “Under Your Skin” e “Wild“.

Para o encore ficou guardado “Red Dress“, “Wonder Why” e o concerto encerrou com “Still I Am Alive“.

[su_carousel source=”media: 2045,2044,2043,2042,2041,2040,2039,2038,2037,2036,2035,2034,2033,2032,2031,2030,2029,2028,2027″ limit=”6″ link=”lightbox” height=”400″ title=”no” autoplay=”3000″]

Fotografias: Bruno Ferreira

Comentários