Seal está de volta com um novo disco, “Standards”, a ser lançado a 10 de novembro. No disco o cantor presta tributo a vozes como Frank Sinatra, Ella Fitzgerald e Nina Simone.

O britânico Seal está de regresso com um novo álbum, “Standards”, combinando a sua voz única com alguns dos melhores standards de jazz e clássicos do swing alguma vez escritos. Um artista que se tem mantido em topo de forma ao longo de 30 anos de carreira lança agora o seu 10.º álbum de estúdio, prestando tributo a lendas como Frank Sinatra, Ella Fitzgerald e Nina Simone. O disco será editado a 10 de novembro, sendo que já se encontra em pré-venda, aqui.

Seal disse: “Este é o álbum que sempre quis fazer. Cresci a ouvir música da era Rat Pack, daí que fosse um sonho de uma vida gravar estes temas intemporais. Foi uma enorme honra poder colaborar com os mesmos músicos que tocaram com Frank Sinatra e com muitos dos meus artistas favoritos, nos mesmos estúdios onde a magia aconteceu pela primeira vez – foi um dos melhores dias da minha carreira discográfica.”

O novo álbum de Seal traz o glamour da velha Hollywood para o presente. É um sucessor natural da sua série de discos de soul, feitos há uma década e que venderam mais de 5 milhões de cópias em todo o mundo. “Standards” distingue-se pela voz quente e aveludada de Seal, que dá uma nova vida a clássicos popularizados por Frank Sinatra (como “Luck Be A Lady”, “I’ve Got You Under My Skin” e “It Was A Very Good Year”), Ella Fitzgerland (“I’m Beginning to See The Light”) e Nina Simone (“I Put A Spell on You”). Podem-se ainda ouvir grandes momentos orquestrais em “Smile” (Charlie Chaplin) e “Love For Sale”, de Cole Porter.

A riqueza inegável de “Standards” deve-se, em grande parte, à decisão de Seal em colaborar com os mesmos músicos lendários que trabalharam com Frank Sinatra – Randy Waldman (pianista que andou em digressão com Sinatra e Paul Anka), Chuck Berghofer (contrabaixista que tocou com Ella Fitzgerald e Ray Charles) e Greg Fields (baterista que também tocou com Quincy Jones e Stevie Wonder).

A sonoridade do novo álbum de Seal foi moldada por três colaboradores bastante reconhecidos: o produtor britânico Nick Patrick, nomeado para os Grammys e que já trabalhou com artistas como Tina Turner e Marvin Gaye, e que alcançou um enorme sucesso com os pioneiros álbuns orquestrais para Elvis; o arranjar Chris Walden, também nomeado por várias vezes para os Grammys; e o lendário engenheiro de som Don Murray.

O álbum foi gravado nos célebres estúdios da Capitol Records, em Los Angeles, onde também gravaram artistas como Frank Sinatra, Dean Martin, Nat “King” Cole, e muitos outros que criaram alguma da música mais preciosa do nosso tempo, e nos United Studios, onde Big Crosby e Frank Sinatra gravaram “It Was A Very Good Year”.

Com uma carreira que se prolonga há três décadas, com mais de 30 milhões de discos vendidos mundialmente e uma mão cheia de Grammys, Brit Awards e Ivor Novello Awards, Seal continua a destacar-se como uma das mais brilhantes estrelas da música. O seu novo álbum está repleto de preciosidades que se destacam quando o cantor as interpreta com a sua voz fascinante.

Comentários