Richie Cambell estreou-se na Altice Arena esta sexta-feira para uma noite em que o seu característico Reggae já não é quem mais ordena.

Perante 14 mi pessoas, número bem considerável para uma estreia, Richie Campbell trouxe aquilo que tem feito nos seus mais de 10 anos de carreira.

Dez da noite era a hora marcada. Depois da abertura de concerto ter sido assegurada por Mishlawi, o artista de hip-hop norte-americano que se sente português, Richie Campbell subiu ao palco em pontualidade britânica. O artista mostrou-se agradecido durante todo o espetáculo e o público retribui com aplausos efusivos.

Num concerto que levou quase duas horas e vários convidados, não faltou diversão, dança e “good vibes”. Em palco, contou com a 911 Band que tratou de enriquecer o espetáculo com boa música incluindo alguns solos de guitarra e saxofone.

A primeira a fazer o público vibrar foi “Love is an Addiction”, seguida de “Get With You” e a culminar no “Blame it on me” – a música que Richie relembrou os fãs “Ter começado isto tudo”.

© João Pedro Padinha | Sony Music Entertainment Portugal

“Um aplauso para o Lhast”- foi com o nome do produtor do seu mais recentemente trabalho que Richie introduziu a sua nova mixtape, “Lisboa”. Este trabalho marca uma nova fase na sua carreira. Há a mudança de algumas sonoridades e o acréscimo de alguma frescura aos ritmos quentes da Jamaica.

O público respondeu de braços abertos e sem surpresas. Começando com temas mais intimistas como “Pray” e “Rio”, logo passou para um dos momentos altos da noite com a participação de Slow J no tema “Water”. Também se fizeram ouvir “Stress”, “Midnight in Lisbon” e “Heaven”, canções que o público já reconhece. Richie finaliza este mood mais introspetivo com a balada “Better Than Today” do álbum “In the 875”.

Aos 31 anos, apresentou-se na maior sala do país com um reportório que vai desde o Reggae, R&B ao Dancehall.

“Eu queria pedir um forte aplauso para o Plutónio” – nem o pé partido de Plutónio o impediu de subir ao palco e juntar-se a Campbell em “Não Vales nada” e “Eyes Open”.

Foi visível que esta noite foi muito mais do que um concerto de Richie Campbell. Foi, na realidade, uma reunião entre amigos onde passaram imagens de pessoas importantes neste percurso. Ele sabe que não se caminha sozinho. Não se esqueceu de agradecer a todos os que contribuíram para este projeto.

“Quem gosta de Dance Soul Music?” – Richie lança assim os dois últimos temas da nova mixtape com um ritmo mais quente. “Give up” e “Slowly” colocaram a Altice Arena toda a dançar.

O concerto estava quase a chegar ao fim mas ainda houve tempo para os grandes êxitos. “I Feeling Amazing” e “Best Friend” fizeram as delícias dos fãs.

© João Pedro Padinha | Sony Music Entertainment Portugal

Richie finaliza o concerto com chave de ouro ao fazer soar o tema “Do You No Wrong”. O público, rendido, cantou em uníssono e aplaudiu o artista efusivamente.

“Lisboa, obrigada do fundo do meu coração! (…) Foi um caminho difícil até chegar aqui mas graças a vocês foi possível”. Faz um agradecimento ao público e a todos os artistas que o acompanham. Não esqueceu, também, de deixar uma mensagem de esperança a todos os aqueles que estão a começar e acreditam no sucesso da música Nacional.


Texto: Alexandra Fonseca
Fotografias: João Pedro Padinha | Sony Music Entertainment Portugal

Comentários