Os Orelha Negra marcaram presença na celebração dos 20 anos do Hard Club no sábado, dia 16 de dezembro. A banda trouxe o seu mais recente trabalho ao Porto.

Por entre linhas de códigos e mensagens ocultas, os Orelha Negra levaram-nos de viagem para o seu mundo, com ponto de partida na Sala 1 do Hard Club, celebrando os 20 anos deste icónico espaço nortenho. O novo álbum, “Orelha Negra III”, é mais um pretexto para este público ser brindado com um concerto que prometia muito.

O quinteto abre com “Viva Ela”, estreado no segundo disco “Orelha Negra II” de 2012. Enquanto a projeção nos mostra códigos e mensagens ocultas, que a nossa viagem estaria prestes a começar, o swing deste tema vai integrando o público na ambiência do grupo. Segue-se “OST”, do mais recente álbum, com picos de intensidade tão saborosos, demarcados pela profundeza da tarola de Fred Ferreira.

A banda passa depois por “Rawbeauty”, à medida que cada vez mais cabeças faz abanar. E eis que chega “Ready”, que arranca com samples de um coro gospel que são absolutamente arrepiantes. Mas isso é apenas o início daquele que é um dos mais marcantes temas deste novo álbum, que recomendamos vivamente aos leitores.

Para acederes à galeria completa clica aqui.

Com projeções graficamente espetaculares e cativantes, cria-se uma envolvência especial que ainda nos leva para a introspeção transparecida pelo grupo. Mas tudo sempre tão intenso, com a pujança de Francisco Rebelo (baixo) a acompanhar a potência e intensidade de Fred Ferreira (bateria). Foram elementos transversais a todo o espetáculo. João Gomes tenta passar despercebido com a enorme subtilidade das suas teclas, mas num estilo muito próprio. Este é mais um elemento fundamental deste excelente concerto. Já Sam The Kid e DJ Cruzfader fazem mexer os corpos e agitar as cabeças, ao ritmo das sonoridades versáteis que nos trazem.

Até ao final do concerto, mostraram mais deste novo disco, com “Skylab”, “Duas Caras”, “Santa Ela” e “A Sombra”, até que regressam a “M. I. R. I. A. M.”, um dos temas mais conhecidos do grupo. Este foi um dos momentos altos da noite.

“Parte de mim” é o último tema da noite. Também a estrear no novo disco, naquele que pareceu um fim prematuro de um concerto de enormíssima qualidade, que apenas pecou por curto, com pouco mais de 1 hora. No entanto, certamente que em breve o público portuense terá direito a um espetáculo maior para apresentar ainda mais de “Orelha Negra III”. We are ready: Queremos mais!

Para acederes à galeria completa clica aqui.


Texto: Pedro Beires
Fotografias: Bruno Correia

Comentários