Os Linda Martini ficaram encarregues de abrir o Palco NOS neste sábado, o último dia do NOS Primavera Sound. A banda portuguesa trouxe até à Invicta “Sirumba”, o seu mais recente disco lançado este ano.

Os espanhóis Manel já tinham atuado no Palco Super Bock e, a poucos minutos das 18h, os Linda Martini subiram ao Palco NOS do festival. Com uma plateia disposta comodamente pelo anfiteatro natural do Parque da Cidade, decida a apreciar e sentir a boa música que caracteriza a banda, lá se deu início ao espetáculo com alguns temas de “Sirumba”.

Contudo, nos curtos 40 minutos de atuação, os Linda não deixaram de fora alguns êxitos como “Juventude Sónica”, “Amor Combate” e “Belarmino” para além dos mais recentes “Unicórnio de Sta. Engrácia” e “Sirumba”. As primeiras filas estavam ao rubro, a desfrutar do concerto, a sentir cada acorde, cada palavra, cada tudo. Esta música é feita para se sentir, até porque há vários momentos em que, ainda que involuntariamente, fechamos os olhos e deixamo-nos levar por estar “praga”. As canções do Linda Martini, são bastante versáteis, na medida em que têm a grande capacidade de se adaptarem a cada “eu”.

Para fechar o concerto, ouviu-se “O dia em que a Música Morreu” (não, não foi hoje, não será certamente amanhã) e Hélio Morais e Pedro Geraldes atiraram-se literalmente à multidão, sufrando entre os braços alheios dos fãs que estavam quase desde que as portas abriram a guardar um lugar ali bem à frente.

As canções, como já era de esperar, estavam todas na ponta da língua, mesmo as que constituem “Sirumba”. Os Linda Martini tornaram a não desiludir mas o público também não o fez, entrando assim no jogo do polícia e do ladrão, onde foram “roubados” bocadinhos tanto da banda como do público.

Foi em 2012 a primeira vez que os Linda Martini subiram a um dos palcos deste festival e hoje mostram que não são de todo uns novatos nestas andanças. Na verdade, estão de “saúde” e recomendam-se.

Texto: Mónica Ferreira
Fotografia: Hugo Lima – NOS Primavera Sound

Comentários