O primeiro dia do NOS Primavera Sound 2019 arrancou com Jarvis Cocker. O músico trouxe “Jarv Is”, numa incrível hora e meia de música cheia de dance moves.

Jarvis Cocker, antigo líder dos Pulp, deixou claro que a idade não passa de um número. Provou também que o charme inglês está de boa saúde e recomenda-se. Fazendo do palco secundário uma sala de dança, do cimo do palco desceu uma bola de espelhos que serviu de mote para ‘House Music’, seguido de ‘Homewrecker’. De guitarra ao peito, Cocker fez soar os primeiros acordes de ‘Must I Evolve’.

As músicas foram então acompanhadas do início ao fim pelo público, que rondava na sua maioria a casa dos 30 ou mais anos. Ainda assim, as gerações mais novas que por lá andavam, depressa se deixavam conquistar pela irreverência do músico. Desviar o olhar do palco tornava-se difícil.

Jarvis Cocker
Fotografia: Bruno Ferreira | Palco das Artes
Para ver a galeria completa clique aqui.

De fato de bombazine e com os seus grandes óculos, tudo a acompanhar os seus movimentos eletrizantes de anca, ouviram-se ainda temas como ‘Am I missing something?’, ‘I Never Said I Was Deep’ e ‘Further Complications’

Ao longo do concerto mostrou estar contente com este seu regresso e reencontro com o público português. Se houve um momento da noite em que mais se fez sentir a chuva pesada a cair nas costas foi durante o seu concerto. Isto levou a quem se encontrava nas bancadas a procurar abrigo.

O mau tempo levou Jarvis, sempre muito comunicativo com a multidão, a brincra uma vez mais. Afinal, o mau tempo acompanhou-o desde Sheffield até ao Porto.

Despedimo-nos então com ‘Cunts Are Running The World’, antes de descermos até ao palco NOS para ouvir Danny Brown.


Texto: Rita Pereira
Fotografias: Bruno Ferreira