A partir de 12 de janeiro, a Leopardo Filmes e a Medeia Filmes trazem de novo às salas várias das obras mais emblemáticas do realizador Wim Wenders, um dos mais inovadores nomes do cinema.

A primeira obra exibida neste programa é o filme marcante que Wenders rodou em Portugal há mais de 30 anos, “O estado das coisas”. Vencedor do Leão de Ouro no Festival de Veneza (1982), este filme será exibido numa cópia recentemente restaurada pela Fundação Wim Wenders. Produzido por Paulo Branco e com argumento de Wim Wenders e Robert Kramer, “O estado das coisas” estará em exibição no Espaço Nimas e no Teatro Municipal Campo Alegre.

O restauro de “O estado das coisas” foi feito em 2015. O negativo original a preto-e-branco, 35mm, foi digitalizado para uma resolução de 4K, usando o processo Wet Gate (submersão do filme num líquido especial).

Depois, o filme foi retocado e a cor foi corrigida. Todo este trabalho foi feito na ARRI Media em Berlim, e financiado pelo German Federal Film Board Digitization of Content Program. Saiba mais sobre o restauro dos filmes pela Fundação Wim Wenders.

Em “O estado das coisas”, uma equipa de cinema filma, perto de Sintra, “The Survivors”, um remake de um clássico da série B americana, “Day the World Ended” de Roger Corman. Mas a película e o dinheiro acabam-se, o
produtor desaparece, e eles ficam à espera. Até que o realizador decide partir para Los Angeles, à procura dele.

Seguir-se-ão, a 26 de janeiro, “As Asas do Desejo” (1987), Prémio Melhor Realizador no Festival de Cannes, com a colaboração de Peter Handke no argumento. Na mesma data, exibiremos também, em cópia restaurada, “A Mulher Canhota”, realizado Peter Handke e produzido por Wim Wenders, obra que esteve em Competição no Festival de Cannes em 1978.

Este programa, que será alargado a Coimbra, Braga, Setúbal e Figueira da Foz, continuará em Abril com a exibição de vários dos filmes mais representativos do realizador, todos em cópias restauradas.