Os Deolinda apresentaram esta sexta-feira, na Casa da Música, “Outras Histórias”, o seu mais recente registo de originais. Num concerto intimista e bastante mexido, a banda portuguesa animou tudo e todos.

Com uma sala completamente esgotada, os Deolinda subiram ao palco da Sala Suggia da Casa da Música, com um pequeno atraso, para apresentar o novo disco. Quatro músicos, quatro luzes sobre eles próprios e nada mais iluminado. Aos primeiros acordes de “Pontos no Mundo”, o público reagiu logo com aplausos. Ana Bacalhau, vinda da sombra do lado esquerdo do palco, foi entrando pé-ante-pé ao mesmo tempo que cantava e chegava ao centro do palco que já estava devidamente iluminado à sua espera.

Seguiu-se “Mau Acordar”, “Manta para Dois” e “Bote Furado”. O novo “bote” dos Deolinda saiu tudo menos furado. O espetáculo continuou e Ana Bacalhau revela que é “uma tremenda felicidade voltar a esta cidade”. O Porto tem por hábito receber sempre bem os seus convidados e o grupo português, inspirado no fado e nas suas origens tradicionais, nunca foi exceção.

Com um público bastante acatado, foram vários os momentos em que a vocalista interagiu com os presentes e, no meio de uma piada ou outra, lá foi os foi libertando.

Apesar de este ser um concerto de apresentação de “Outras Histórias”, os Deolinda não deixaram de revisitar alguns temas dos discos anteriores: “Seja Agora”, “Fado Toninho”, “Não Tenho Mais Razões”, “Movimento Perpétuo Associativo”.

Lançado há bastante pouco tempo, as letras ainda não eram do conhecimento geral mas, em “Corzinha de Verão”, altura em que Ana Bacalhau pede encarecidamente a São Pedro que nos devolva a primavera neste inverno de maio, foram raras as pessoas que não fizeram questão de acompanhar a vocalista nas vozes.

Ana Isabel Dias, harpista convidada que participou em “Bons Dias” e “Dançar de Olhos Fechados”, Manel Cruz, ex-Ornatos e Riot, dos Buraka Som Sistema, foram outros convidados na noite que estiveram ao lado de Ana Bacalhau em “Desavindos” e “A Velha e o DJ”, respetivamente.

Para o encore ficaram guardados os temas “Nunca é Tarde”, “Mal por Mal”, “Fon Fon Fon” e “Musiquinha”. A noite de sexta-feira foi bastante animada ao som das novas melodias dos Deolinda que fizeram a noite dos que assistiram.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Fotografias: Bruno Ferreira

Comentários