Durante sete dias, cerca de 7500 pessoas passaram pelos Caminhos da Água. Foram 67 atuações gratuitas que inundaram de cultura a região do Médio Tejo.

Em dois fins de semana (de 13 a 15 e de 19 a 22 de julho), foram 23 os projetos culturais que encontraram palco e desaguaram no Médio Tejo.

Mas mais do que números, é de salientar o crescimento da onda de envolvimento das comunidades locais, com um projeto que pretende que essa seja a sua verdadeira marca de água.

Onda crescente e Caminhos da Pedra já a rolar

O projeto Caminhos do Médio Tejo faz-se então das pessoas dos 13 municípios desta região tão fértil.

Para que um projeto em crescimento alcance os seus objetivos em pleno, importa também trazer os mais pequenos. Para esses, além dos diversos espetáculos, houve também à disposição vários jogos, mas também histórias. Histórias que ficam gravadas na memória e que são sempre a melhor testemunha deste projeto cultural.

Caminhos do Ferro em outubro

Então, esta onda não vai parar por aqui. O final do Caminhos da Água é sempre o lançamento da primeira pedra para o ciclo que aí vem.

Em outubro, de 12 a 14 e de 18 a 21, o Entroncamento, Ferreira do Zêzere, Ourém, Sardoal, Tomar, Torres Novas e Vila Nova da Barquinha, voltam a fazer a cultura rolar. Desta vez com o Caminhos da Pedra.

Comentários