Agir rumou até ao Coliseu do Porto esta terça-feira para apresentar o seu mais recente disco “Leva-me a Sério”, editado em março de 2015 e alguns temas do próximo trabalho. Com ele vieram alguns convidados especiais que tornaram a noite inesquecível e que irá ficar registado para todo o sempre, ou não estivesse o espetáculo a ser gravado.

Durante a tarde, a Rua Passos Manuel (Porto) foi servindo de sala de espera para algumas centenas de fãs de Agir que atuava às 19h no Coliseu do Porto. Ainda não tinham acabado de bater as seis da  tarde quando soou um alarme no coração da Invicta. Os fãs, que formavam uma fila que invadia a Rua de Santa Catarina, desataram aos gritos, não só por estarem ansiosos por estarmos cada vez mais próximos da hora do concerto mas porque as portas do recinto estavam oficialmente abertas para os receber.

Assim que entrámos no Coliseu, deparámos-nos com uma plataforma alta colocada em cima do palco e uma outra que se estendia pela plateia em forma de “A”.

Sentados no chão, aproveitando cada momento para tirar as afamadas selfies e usies, os fãs esperavam ansiosamente pelo artista. Um público constituído essencialmente por crianças e jovens que iam, na sua maioria, acompanhados pelos seus pais.

Entre cachecóis, t-shirts, cartazes de todos os tamanhos e feitios com o nome do jovem artista, corações desenhados, mensagens e até algumas declarações de amor, o espetáculo arrancou, com cerca de meia hora de atraso e com os fãs com os nervos em franja, com um sincero “Obrigado por realizarem o meu sonho”. Felicidade era a palavra de ordem da noite, não só para Bernardo Costa mas para os três mil fãs que esgotaram o Coliseu do Porto.

“Are You Ready???” abriu o espetáculo e seguiu-se um desfilar de êxitos de “Leva-me a Sério” para depois nos começar com as surpresas. Como se já não bastasse ter surgido em palco numa banheira, Agir trouxe até nós um verdadeiro espetáculo de dança. Ainda estava a terminar “One Night Stand”, com o guitarrista a fazer um solo brilhante mesmo no centro do “A”, o cenário era alterado.

Num compasso agitado, num montar adereços, o jovem cantor surge-nos sentado num sofá, e ecoa por todo o Coliseu “Deixa-te de Merdas”. Trocou de roupa, está em palco descalço, só de meias com uma luz sobre ele apenas. Quando rebenta o refrão quatro bailarinas entram, vestidas de trapos brancos e colocam-se atrás de umas grades colocadas, elevando-se este espetáculo a um outro patamar. O jogo de luzes, a dança, tudo a casar na perfeição com a música. Saem detrás das grades e vem correndo ara a linha da frente, como se de fantasmas se tratassem, medos e receios, tudo envolto em grande simbologia: “não quero estar só” já diz a letra, serão estes os fantasmas que perseguem Agir?

Os MGDRV foram os primeiros convidados da noite, onde se juntaram a Bernardo para “Maroto”. Seguiu-se Filipe Gonçalves com “Ela Só Quer”, Karetus com “Castles in the Sand” e Carolina Deslandes que deu ao Coliseu um dos momentos mais intensos desta noite ao interpretar ao lado de Agir “Mountains”, envoltos em grande cumplicidade.

Até agora foi tudo non stop e era preciso tempo para respirar. “Vamos acalmar um bocadinho, que eu já não tenho a vossa idade”, diz-nos e pede para ligarmos os isqueiros ou telemóveis e transformar a noite em dia e “vamos fazer está noite brilhar para sempre como uma bola de cristal”, o mote para o tema que se segue “Bola de Cristal”. Sentado num banco de jardim, e com um casal de dançarinos a serem o o foco nesta canção, a embelezarem o ambiente, fez a delícia dos presentes e levou aos mais crescidos (nomeadamente os pais que acompanhavam os jovens e crianças) a abraçarem-se e trocarem gestos envergonhados de carinho.

Mas não ficou por aqui. Agir queria a sua “família” em palco reunida e contou com mais alguns membros, nomeadamente Jimmy P com “Esconder” e os Amor Electro com “Um Novo Dia”. A voz de Mariza Liz rebentou com o Coliseu, literalmente, deixando tudo e todos de coração na boca.

Como esta era uma noite especial, foram-nos apresentados alguns novos temas que iram fazer parte de um novo trabalho do filho de Paulo de Carvalho e Helena Isabel: “Amor Cartier”, “Cruz Credo” e “Esta Noite é Nossa”.

A primeira parte do concerto termina com “Makeup” que colocou tudo e todos a cantar numa só voz. Estávamos a entrar na onda das predilectas do público. Depois de uma curta pausa, de vários “Só mais uma”, Agir retorna ao palco para nos atirar com “Como Ela é Bela” mas mal sabia ele que estava na sua vez de ser surpreendido.

Mesmo antes da última canção do alinhamento deste espetáculo, a Team Got It preparou um vídeo com vários momentos do artista, desde a sua infância até à atualidade, tendo como banda sonora algumas peças jornalísticas dos marcos na sua carreia e com a interpretação de “Meu Fado”.

O concerto encerrou com “Parte-me o Pescoço” e “Tempo é dinheiro” seguido de uma confraternização com os fãs na entrada do Coliseu. Um espetáculo que não deixou ninguém parar em diversos momentos mas que, contudo, um tanto ou quanto “pesado” para os mais pequenos. Isto porque haviam crianças e as letras, nem sempre, são as mais adequadas.

agir_1

Para acederes à galeria completa clica aqui.


Texto: Mónica Ferreira

Fotografias: Bruno Ferreira

Comentários