Está aqui!
Home > Cinema > XX Festival de Cinema Luso-Brasileiro encerra com “Chico – Artista Brasileiro”

XX Festival de Cinema Luso-Brasileiro encerra com “Chico – Artista Brasileiro”

Festival
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone

Este domingo deu-se por encerrada mais uma edição do Festival de Cinema Luso-Brasileiro de Santa Maria da Feira.  Durante oito dias, o Auditório da Biblioteca Municipal de Santa Maria da Feira encheu-se de cinema naquela que foi a edição comemorativa dos 20 anos do Festival de Cinema Luso-Brasileiro.

De 4 a 11 de dezembro, Santa Maria da feira recebeu mais uma edição do Festival de Cinema Luso-Brasileiro. O festival abriu com “Elis”, uma cinebiografia de Elis Regina realizada por Hugo Prata e protagonizada por Andréia Horta, e terminou com a exibição de “Chico – Artista Brasileiro”, um documentário de Miguel Faria sobre o artista brasileiro Chico Buarque.

Este ano, o realizador em foco foi Leon Hirszman que contou com a exibição de três filmes inseridos a obra de ficção do realizador. Ele, que morreu muito jovem, esteve representado no festival por João Pedro Hirszman, filho do cineasta, que não deixou de mostrar o seu grande apreço ao ver uma pequena parte da obra do pai a ser exibida aqui.

Segundo Américo Santos, diretor do festival, este ano houve um aumento significativo da audiência nas sessões competitivas, que contaram com salas bastante bem compostas. Tentou-se assinalar estas duas décadas de existência do evento “com um programa megalómano”, segundo Américo, mas “20 anos são difíceis de resumir num simples programa” tendo fico aquém das expetativas da organização.

Na competição de longas-metragens, houveram cinco obras inscritas para oito categorias e a de curtas-metragens contou com 13 filmes, para seis categorias. Todas as obras foram avaliados por um júri, composto por António José Martins (programador da RTP), Miguel Gaspar (crítico de cinema, editor de cultura e jornalista do Jornal de Notícias) e por Ricardo Cota (diretor da Cinemateca do MAM – Brasil).

No que diz respeito às curtas-metragens, os grandes vencedores foram:

Prémio do Público: “Quando os Dias Eram Eternos” (Marcus Vinícius Vasconcelos) ;

Prémio dos Cineclubes: “António, Lindo António” (Ana Maria Gomes);

Prémio da Crítica: “Sesmaria” (Gabriela Richter Lamas);

Menção Honrosa do Júri: “Uma Breve História da Princesa X” (Gabriel Abrantes);

Prémio Especial do Júri: “The Beast” (Michael Wahrmann);

Prémio Revelação: “Sesmaria” (Gabriela Richter Lamas);

Melhor Filme: “Campo de Víboras” (Cristèle Alves Meira).

Os vencedores dos prémios na categoria de longas-metragens foram:

Prémio do Público: “Elis” (Hugo Prata);

Prémio dos Cineclubes: “A Cidade Onde Envelheço” (Marília Rocha);

Prémio da Crítica: “A Cidade Onde Envelheço” (Marília Rocha);

Prémio Revelação: “Animal Político” (Tião);

Prémio Especial do Júri: “A Serpente” (Jura Capela);

Melhor Ator: Mário Bortolotto (“Borrasca”);

Melhor Atriz: Andréia Horta (“Elis”);

Melhor Filme: “A Cidade Onde Envelheço” (Marília Rocha).

O Festival de Cinema Luso-Brasileiro estará de volta em dezembro de 2017 em datas a anunciar entretanto.

Comentários
Top

Este site utiliza cookies próprios e da Google para personalizar conteúdo e anúncios, funcionalidades de redes sociais e análise de tráfego. A informação contida nestes cookies pode ser partilhada com os nossos parceiros fornecedores das funcionalidades descritas atrás. Ao navegar neste site, estará a consentir a utilização destes cookies. Saiba mais sobre o uso de cookies.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

X