Depois de em 2013 se estrear com um EP homónimo de clara inspiração disco-punk e de, no ano seguinte, ter editado o seu primeira longa-duração, “The White Haus Album”, eis que chega “Modern Dancing”.

O álbum foi composto em estúdio, trabalhado na sala de ensaio com banda e depois gravado e misturado na Meifumado por Zé Nando Pimenta, “é um disco mais orgânico, menos lo-fi e menos sombrio que o anterior. O disco emana uma energia mais positiva e mais alegre.”

O artista considera que Modern Dancing é um disco mais festivo que o anterior; e acrescenta: “Mais uma vez são muitas as referências – muitas daquelas que me seguiram durante os quase 20 anos como dj e melómano.”

A diferença maior entre este disco e o anterior é o facto de este ter sido gravado em estúdio com os vários músicos que acompanham João Vieira na estrada (Graciela Coelho, André Simão e Gil Costa.) O artwork é da autoria de “Royal Studio”.

White Haus, projecto a solo de João Vieira, conhecido também como DJ Kitten e como um dos mentores dos X-Wife, lança 2º álbum de originais a 30 de Setembro.

GREATEST HITS

Enquanto esperamos pelo fim de setembro, White Haus apresenta o single Greatest Hits. Com influências dos primórdios do hip hop e electro de inícios de 80 o tema conta com a participação de André Simão na guitarra, Graciela Coelho nas segundas vozes e Gil Costa na bateria. A voz principal assim como os sintetizadores ficam a cargo de João Vieira.

Ouve-se sexual harassment, cybotron, egyptian lover e grandmaster flash mas a identidade de White Haus permanece intacta com os sintetizadores a substituir as linhas de baixo, guitarras à Nile Rodgers, caixas de ritmos, bateria e vozes num estilo vocal mais aproximado de How I Feel, o primeiro single do projecto a solo de João Vieira.

O vídeo, realizado por Vasco Mendes e filmado no Porto, conta com a participação de mais de 150 alunos da Escola Superior de Artes e Design em Matosinhos.

Durante 3 dias os alunos do curso de design da comunicação da ESAD estiveram envolvidos na elaboração do vídeo utilizando a técnica de rotoscope, que implica uma intervenção “frame a frame” sobre a filmagem. A sequência foi impressa, os alunos intervieram manualmente e no final foi fotografada na íntegra de forma a reintegrar o vídeo.

Nele está retratada a vida de um produtor que teve sucesso nos anos 80 e que trabalha no presente como produtor de bandas. Tudo parece correr bem com a banda que está a produzir (White Haus) mas em vários momentos sente uma enorme vontade de voltar a subir aos palcos e assumir o protagonismo (em vez de estar atrás de uma mesa de mistura).

Comentários