“Private Song” será apresentado pela primeira vez no Porto, depois da estreia mundial na Alemanha, a 13 de outubro no TNSJ.

Considerada uma das mais importantes coreógrafas europeias, Alexandra Bachzetsis trabalha frequentemente a performance, a dança e as artes visuais. Os seus projetos foram recentemente apresentados na Chisenhale Gallery (Londres, 2012), na Documenta 13 (Kassel, 2012), na Fondation Beyeler (Basileia, 2013) e na Documenta 14 (Atenas e Kassel, 2017), palco da estreia mundial de Private Song. O espetáculo, programado pela Fundação de Serralves – Museu de Arte Contemporânea, será agora apresentado pela primeira vez no Porto, no Teatro Nacional São João (TNSJ), na sexta-feira, dia 13 de outubro, às 21h00.

Private Song é antecedido por Private: Wear a mask when you talk to me, um solo de Alexandra Bachzetsis que será apresentado no Auditório de Serralves. Esta performance recorre à automutação enquanto técnica de exploração de construções sexuais e culturais através da repetição ritualizada do gesto manifestado no corpo. Já Private Song, interpretado pela coreógrafa e dois bailarinos, desenvolve a estratégia proposta no espetáculo anterior, questionando, acentuando e neutralizando a relação do espectador com os corpos em movimento no palco.

A construção da identidade afetiva e sexual

Private Song aborda as questões da construção social e coletiva de sentimentos, das transformações de género e das transições culturais, introduzindo canções populares rebético – tipo de música popular urbana da Grécia – das décadas de 1940 e 50, com o objetivo de unir vozes singulares e gestos codificados da dança oriental e moderna, dos modelos sexuais de Hollywood ou de movimentos da luta livre. Private Song é inspirado nos escritos de Paul B. Preciado, pensador no âmbito da política sexual e de género e colaborador de Alexandra Bachzetsis neste projeto.

Alexandra Bachzetsis trabalha de forma independente desde 2001, tendo criado mais de 24 projetos, muitas vezes em colaboração, que foram exibidos em cinemas, festivais e espaços públicos de todo o mundo. Grande parte do trabalho da coreógrafa assenta no uso do gesto e do movimento em géneros populares, em contraposição com o género “artístico”, e de como estes influenciam, através de estereótipos e arquétipos, a maneira como executamos e encenamos nossos corpos. Private Song é uma coprodução Volksbühne Berlin, Frans Hals Museum | De Hallen Haarlem, com dramaturgia de Tom Engels e colaboração de Yonatan Zohar. O espetáculo é para maiores de 12 anos, sendo que o preço dos bilhetes é de 16 euros.

Comentários