Está aqui!
Home > Música > Concertos > Raquel Tavares é convidada dos Resistência, 25 Anos de Canções e Amigos

Raquel Tavares é convidada dos Resistência, 25 Anos de Canções e Amigos

Raquel Tavares
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone

Raquel Tavares junta-se a António Zambujo nos concertos especiais, comemorativos dos 25 anos de Canções e Amigos dos Resistência.

Raquel Tavares é a mais recente voz a juntar-se à festa com que a Resistência pretende assinalar esta viagem de 25 anos feita de canções e de amigos. Depois do anúncio de António Zambujo, a confirmação de Raquel Tavares vem reforçar a ideia de que esta é, na verdade, uma celebração da própria música portuguesa, como sempre foi, aliás, o grande propósito da Resistência.

Quando Raquel Tavares ganhou a sua primeira gala da Grande Noite do Fado, com apenas 12 anos de idade, em 1997, já o colectivo de vozes e guitarras tinha lançado os álbuns Palavras ao Vento (1991), Mano a Mano (1992) e Ao Vivo no Armazém 22 (1993). A fadista ouviu-os provavelmente na rádio nesses tempos formativos, antes de se lançar na sua própria aventura que desembocou em Raquel, o seu álbum de 2016 em que canta Caetano Veloso e Mallu Magalhães, Rui Veloso e… António Zambujo. Faz sentido, claro, que ambos se juntem agora a quem sempre procurou celebrar essa mesma ideia de lusofonia capaz de atravessar décadas e oceanos.

Fernando Cunha confessou que ter a Raquel Tavares em palco foi uma grande conquista para a Resistência: “A Raquel já cruzou o mundo com a nossa língua, já foi aplaudida nalguns dos melhores palcos internacionais, sabe bem o que significa cantar em português, como a canção certa pode levar o espírito de um povo muito longe. Faz sentido tê-la ao nosso lado, ao lado do António Zambujo que também aceitou o nosso convite”.

A 13 de outubro no MEO Arena e a 14 de Outubro no Pavilhão Multiusos de Guimarães, o colectivo formado por Alexandre Frazão (bateria), Fernando Cunha (voz e guitarra 12 cordas) Fernando Judíce (baixo), José Salgueiro (percussões), Mario Delgado (guitarra), Miguel Angelo (voz), Pedro Jóia (guitarra clássica), Olavo Bilac (voz) e Tim (voz e guitarra) voltará ao palco para, como escreveu Pedro Ayres no texto que acompanhava a edição do DVD com o registo do concerto do álbum Horizonte, de 2015, voltar a fazer “a apologia da canção de autores portugueses da música eléctrica e dos concertos cantados pela comunidade do público”. Só assim, aliás, faz sentido celebrar.

Comentários
Top

Este site utiliza cookies próprios e da Google para personalizar conteúdo e anúncios, funcionalidades de redes sociais e análise de tráfego. A informação contida nestes cookies pode ser partilhada com os nossos parceiros fornecedores das funcionalidades descritas atrás. Ao navegar neste site, estará a consentir a utilização destes cookies. Saiba mais sobre o uso de cookies.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

X