Há bandas assim, que nos recolhem e deixam em “Todas as Estações”. É esta a proposta do 8º álbum de originais da Quinta do Bill, em 29 anos de carreira, num passo em frente determinado e rumo a um positivismo raro nos dias que correm.

“Faz Bem Falar de Amor” assume as raízes africanas e a urgência do amor e é o mote de arranque para uma coleção de canções impossíveis de contornar, num suceder de estados de alma que nos transportam por “Todas as estações” da música popular, da pop de “Porque Há-de Ser” ao rock alternativo de “Rir”, do tango de “A Tarde Cai“ ao folk-rock de “Tantas voltas por trocar”.

“Todas as Estações” é também um convite às Histórias e aos Afetos, aqui contados por José Luis Peixoto, Moz Carrapa , Sebastião Antunes (Quadrilha), João Afonso e Pedro Malaquias.

Gravado em Paço D’Arcos, o álbum vai sair para o mercado em 27 de maio e voltou a contar com a produção de Nuno Rafael (Sérgio Godinho e Humanos), numa (re)experiência de contágio imediato: sons cheios e diretos, quase à flor da pele, num redescobrir de uma identidade folk intensa, mas profundamente orgânica, quase poética, como o dramático “Todas as Estações, Invernos e Apeadeiros”.

O videoclipe de “Faz Bem Falar de Amor” realizado em animação 2D e 3D foi pensado e idealizado pela Quinta do Bill em conjunto com a equipa de realização e produção liderada por Jorge Ribeiro, pretende
 passar uma mensagem clara da importância do diálogo, da importância do amor. O amor positivo, sem violência. A história retratada no vídeo leva-nos também para um imaginário onde não há impossíveis, onde não há barreiras.

Comentários