Texto: Susana Ribeiro
Fotografias: Pedro Raimundo

Queen + Adam Lambert subiram ao palco Mundo para 74 mil pessoas. Alguns já tinham assistido a concertos dos Queen, para outros era a primeira vez, para muitos era o realizar de um sonho que julgaram durante muito tempo não ser possível. Passados 25 anos da morte de Freddie Mercury, Queen chegam a Lisboa com novo vocalista, Adam Lambert. Não é um substituto, o lendário Freddie Mercury é insubstituível, mas o legado continua pela voz de Lambert, que não desiludiu.

Passava da meia-noite, a lua estava cheia e iluminava o Parque da Bela Vista, as luzes do palco estavam desligadas e as 74 mil pessoas presentes estavam ansiosas por ouvir Queen. O pano caiu, as luzes finalmente ligaram-se e começaram a soar os primeiros acordes de “Flash Tape”. Começava o concerto de Queen, com Adam Lambert a dar voz aos temas de sempre.

As músicas o público conhecia bem e cantava a plenos pulmões, a desconfiam-se perante Adam Lambert ia passando a cada nova música. Longe de ser o desastre que muitos pensavam, o cantor não foi perfeito mas cumpriu bem o seu papel. Longe de tentar imitar Freddie, Lambert ocupou o seu espaço, sendo ele próprio, não esquecendo nunca a voz que imortalizou os temas que agora interpretava. As imagens de Freddie Mercury apareciam no ecrã no centro do palco, para lembrar que a banda não continua simplesmente sem ele, mas continua para lhe prestar homenagem.

No concerto houve espaço para tudo, momentos em que a multidão tirou os pés do chão e gritar a plenos pulmões como durante “Break Free” e “Don’t Stop Me Now”, batalhas de bateria entre o icónico Roger Taylor e o filho Rufus Taylor, e um solo de guitarra protagonizado por Brian May que trouxe os acordes de sempre. O guitarrista falou em português, agradeceu “à gente porreira de Portugal” e protagonizou um dos momentos mais emocionantes da noite, ao cantar sozinho na frente do palco “Love of my life”. O mar de gente ergueu os telemóveis no ar tendo iluminado o Parque da Bela Vista e acompanhando o músico durante toda a música.

Já em encore, ouviu-se Radio Gaga e o público acompanhou com aplausos a icónica música “We Will Rock You”. O concerto terminou com “We Are the Champions”, numa noite em que o público também saiu vencedor por ter a oportunidade de ouvir ao vivo os hinos de sempre. Não voltámos aos anos 70/80, não foi Freddie Mercury que esteve no palco, mas tivemos uma experiência que não teríamos de outra forma. Freddie cantava “The Show Must Go On”, e não esquecendo as suas palavras, foi isso que aconteceu no Parque da Bela Vista.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Comentários