A sessão inaugural das Leituras no Mosteiro de 2018 acontece a 16 de janeiro com a leitura de “O Grande Teatro do Mundo,” de Pedro Calderón de la Barca.

Depois das famílias terem “habitado” os últimos quatro meses de 2017 das Leituras no Mosteiro, a iniciativa está de regresso. A primeira sessão do ano acontece a 16 de janeiro, pelas 21h00. Vai debruçar-se sobre uma obra de Pedro Calderón de la Barca: O Grande Teatro do Mundo. A entrada é gratuita e decorre no Centro de Documentação do TNSJ, localizado no Mosteiro de São Bento da Vitória.

Em “O Grande Teatro do Mundo”, Deus convoca o Mundo e os Espíritos para um “grande teatro da vida”. A cada um deles, é distribuído um papel: o Pobre, o Rico, a Formosura, a Discrição, o Rei, o Criado, o Menino, a Lei da Graça e o Lavrador. Estes papéis representam arquétipos que ainda hoje se mantêm atuais. Na obra, é comparada a vida humana a uma representação teatral onde há salvação ou punição.

Leituras no Mosteiro

A sessão inaugural conta com a presença de Nuno Carinhas e Francisco Leal. Sobre a obra, diz-nos Carinhas que:

“questionar o mundo dos homens através de um texto escrito há séculos por um escriba que caucionou na sua obra o Poder e fez da Religião o seu próprio estado não é tarefa bafienta de recuperação em detrimento do reportório contemporâneo. É do mesmo prazer desperto do jogo e dos sentidos que se trata”.

As Leituras no Mosteiro continuam a 20 de fevereiro com “Rosencrantz e Guildenstern Estão Mortos” (Tom Stoppard); fecham a 20 de março com a análise de excertos de “Hamlet” (William Shakespeare) e “A Máquina Hamlet” (Heiner Müller). A iniciativa – coordenada por Nuno M Cardoso e Paula Braga – acontece todas as terceiras terças-feiras de cada mês.

Comentários