“Onde o frio se demora”, uma peça dirigida e interpretada no feminino, sobre o próprio universo feminino, mas direcionada a todos, independentemente do sexo. Esta peça estreia esta quinta-feira, dia 3 de março, no Grande Auditório da Casa das Artes de Vila Nova de Famalicão.

Onde o frio se demora” conta-nos a história de três mulheres, Susana, Ana e Graça, que vêem as suas ligadas por um elo comum: a ausência de amor. Luísa Pinto, encenadora da peça, acredita que está uma história “contada para todos, sejam eles homens ou mulheres”, que se inspirou num conjunto de várias entrevistas da jornalista do Público Ana Cristina Pereira e resolveu levar à cena a história real destas três mulheres residentes na Área Metropolitana do Porto.

Susana, de 30 anos, foi vítima de violência doméstica; Ana, de 44, é o retrato de uma mulher cuja insegurança nunca deixou que vivesse a plenitude de um amor; e Graça, uma senhora de 73 anos a quem fora diagnosticado Alzheimer e que foi amante de um homem casado, por mais de trinta anos.

Luísa explicou que esta “é uma história muito feminina mas que, ao mesmo tempo, é de todos. Os homens também se revêm na vida destas três mulheres. As questões da violência de género, da solidão e da insegurança não dizem respeito só às mulheres. Também dizem respeito aos homens“.

Na opinião da encenadora, “Onde o frio se demora” é, acima de tudo, uma peça sobre os direitos humanos e, como tal, Luísa espera agitar consciências. Na verdade esta peça “consegue tocar em questões que a sociedade portuguesa tem medo de falar”, até porque “a violência de género ainda faz muitas vítimas em Portugal”.

Em palco e a dar corpo ao drama singular destas três mulheres está a atriz Margarida Carvalho, acompanhada pela música ao vivo do guitarrista Peixe, ex-Ornatos Violeta e Pluto.

A peça estará em cena na Casa das Artes de Famalicão de 3 a 5 de março, seguindo depois para o Rivoli – Teatro Municipal, no Porto, a 18 e 19 de março, para o Teatro Municipal Joaquim Benite, em Almada, de 25 a 27 de março, e para o Teatro Municipal de Bragança, a 6 de abril.

A entrada para o espetáculo na Casa das Artes tem o custo de 8€, reduzindo para metade para estudantes e portadores do Cartão Quadrilátero Cultural.


“ONDE O FRIO SE DEMORA” | FICHA TÉCNICA

Texto: Ana Cristina Pereira

Encenação, cenografia e figurinos: Luísa Pinto

Interpretação: Margarida Carvalho

Musica original e interpretação ao vivo: Peixe

Desenho de luz: Bruno Santos

Fotografia vídeo: Paulo Pimenta

Assistente de Produção: Cláudia Pinto

Produção: Narrativensaio

Comentários