Está aqui!
Home > Música > Concertos > Miguel Araújo no Porto: Uma redundância que fez sentido

Miguel Araújo no Porto: Uma redundância que fez sentido

Miguel Araújo
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone

Miguel Araújo apresentou-se sexta-feira no Coliseu do Porto para aquele que foi o primeiro de quatro concertos no Porto e Lisboa. Com o Coliseu esgotado, apresentou o seu mais recente álbum, “Giesta”, bem como alguns dos seus mais conhecidos clássicos.

“Boa noite Porto, é sempre um prazer estar aqui, eu sou daqui,isto é quase uma redundância que não faz sentido”, foram estas as primeiras palavras que Miguel Araújo dirigiu ao público, depois de “Lurdes”, “Ventura”, “José” e “Romaria” terem sido tocadas de seguida e sem pausas.

Num concerto que ficou pautado pela diversão e a evidente felicidade do cantor por estar a cantar em casa, Miguel Araújo explicou que este é um álbum muito especial para ele porque gira muito à volta da casa da sua avó e dos seus primeiros passos neste mundo da música.

Depois de músicas como “Meio Conto”, “Via Norte”, “Terra de Ninguém” e “Acordo Nupcial”, deu-se o primeiro grande momento da noite.

Enquanto interpretava “Sangemil”, uma música que leva o cantor de volta às suas origens, Rui Veloso entrou no palco para o acompanhar e os dois mostraram uma cumplicidade imensa entre acordes de guitarra e harmonias perfeitas.

Foram muitas as gargalhadas que Miguel arrancou do público ao contar as suas histórias de infância que serviram de inspiração para muitas das músicas deste seu novo álbum.

Nem só de estreias se fez este concerto. Quando o cantor interpretou o tema “Será Amor”, mediatizado no filme “A Canção de Lisboa” por César Mourão, todo o público acompanhou o artista numa sinfonia alegre e arrepiante.

“AXL ROSE”, “Reader´s Digest”, “Fado Dançado” e “Dona Laura” foram outros dos temas que aqueceram uma noite já fria e chuvosa de Outono.

André Tentúgal dos “WE Trust” subiu a palco para acompanhar Miguel Araújo no tema “We are the Ones” e Kate também se fez ouvir quando o cantor presenteou o público com o primeiro single deste álbum, “1987”

Um dos momentos mais arrepiantes e espetaculares da noite deu-se quando os Kappas, banda formada por tios e primos de Miguel, encheram o palco com o tema “House of the Rising Sun”, levando o público ao rubro.

Depois da célebre música “Maridos” e quando já muita gente tinha abandonado o coliseu por pensar que o concerto tinha terminado, Miguel Araújo voltou a palco apenas acompanhado da sua guitarra para cantar o tema “Anda comigo ver os Aviões”. Aqui o cantor rendeu-se ao público deixando-o cantar por si.

A emoção tomou conta do Coliseu assim que Rui Veloso voltou, para juntos interpretarem o tema “Porto Sentido”. “O Rui deixou-me e deu-me o prazer de poder cantar esta noite esta música tão especial com ele”, disse Miguel Araújo antes do momento extraordinário de música, voz e solos de guitarra que se seguiu.

Depois de quase 2h30m de concerto, em que o músico se mostrou incansável, a noite terminou com “5 minutos de whiskey” e a tão conhecida “Balada Astral”.

Um espetáculo que teve de tudo e que não deixou ninguém indiferente ao músico que se mostrou tão feliz por voltar a casa, naquela que é a grande casa de espetáculos do Porto.

Para acederes à galeria completa clica aqui.

Texto: Inês Vale
Fotografias: Bruno Ferreira

Comentários
Top

Este site utiliza cookies próprios e da Google para personalizar conteúdo e anúncios, funcionalidades de redes sociais e análise de tráfego. A informação contida nestes cookies pode ser partilhada com os nossos parceiros fornecedores das funcionalidades descritas atrás. Ao navegar neste site, estará a consentir a utilização destes cookies. Saiba mais sobre o uso de cookies.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

X