Está aqui!
Home > Cinema > Ciclos > Medeia Filmes exibe “Os Olhos da Ásia” no Espaço Nimas

Medeia Filmes exibe “Os Olhos da Ásia” no Espaço Nimas

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone

Dia 6 de fevereiro, o Espaço Nimas recebe uma sessão especial de cinemaonde será exibido “Os Olhos da Ásia”. A seguir à projeção há uma conversa com João Mário Grilo e José Tolentino Mendonça.

Em “Os Olhos da Ásia” (uma produção da Madragoa Filmes, de Paulo Branco), com interpretações de João Perry, Geraldine Chaplin, António Cordeiro e Yoshi Oida (o actor japonês da companhia de Peter Brook que também faz parte do elenco de Silêncio), João Mário Grilo mergulhava no Japão seiscentista e na história atribulada dos jesuítas portugueses (o Padre Ferreira, que no filme de Scorsese é interpretado por Liam Neeson, é também uma das figuras centrais do filme de Grilo, numa magnífica interpretação de João Perry) e da perseguição a que foram submetidos.

A obra de João Mário Grilo (estreada em 1996 no festival de Locarno), que, de certa forma, também usa o romance O Silêncio, de Shusaku Endo (que Scorsese adaptou no seu filme), começa lá mais atrás, quando Julião de Nakaura (Yoshi Oida), da Companhia de Jesus, foi, juntamente com quatro jovens, enviado a Roma pelos Jesuítas em meados de 1500, para testemunhar que o Japão se convertera ao Cristianismo. Cinco décadas mais tarde, Julião viu-se de novo obrigado a provar a sua fé, agora às cortes Shogun, que o forçavam a abandoná-la. Resiste e torna-se mártir, enquanto o Pe. Cristovão Ferreira não suporta a tortura e renuncia (“Interessou-me tanto a personagem de Julião, o japonês que morre por causa do cristianismo, como a de Cristóvão Ferreira, o português que se torna japonês, ao negá-lo”, João Mário Grilo em entrevista ao JL).

No seu filme, Grilo articula a história destes mártires cristãos com a história contemporânea (é aqui que entra Jane Powell, uma comissária cultural europeia interpretada por Geraldine Chaplin) nos segmentos em Nagasaki, cidade de extrema importância na relação de Portugal com o Japão e da implantação do cristianismo (e onde terá morrido Cristóvão Ferreira, que, entretanto, adoptara o nome budista Sawano Shuan), e que remete também para a terrível memória da bomba atómica na Segunda Guerra Mundial. Como referem os versos de Whitman que servem de epígrafe ao filme: “Incessantemente balança o berço / que une o Hoje e o Amanhã”.

Há 20 anos João Mário Grilo filmava o mesmo Japão dos missionários jesuítas portugueses que Scorsese nos mostra agora em “Silêncio”. A Medeia Filmes exibe “Os Olhos da Ásia” (cópia 35mm) numa sessão única no dia 6 de fevereiro, às 21h30 no Espaço Nimas. A seguir à projecção o realizador conversará sobre o seu filme e o de Scorsese com o poeta, padre e teólogo José Tolentino Mendonça. Bilhetes: 5€

OS OLHOS DA ÁSIA

de João Mário Grilo

Seguido de conversa com o realizador e José Tolentino Mendonça

Espaço Nimas, segunda-feira, 6 de Fevereiro, 21h30
Bilhetes: 5 euros
Cópia 35mm

Comentários
Top

Este site utiliza cookies próprios e da Google para personalizar conteúdo e anúncios, funcionalidades de redes sociais e análise de tráfego. A informação contida nestes cookies pode ser partilhada com os nossos parceiros fornecedores das funcionalidades descritas atrás. Ao navegar neste site, estará a consentir a utilização destes cookies. Saiba mais sobre o uso de cookies.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

X