Mário Laginha e Pedro Burmester vão abrir o Festival MIMO no Rio de Janeiro, dia 11, na Igreja da Candelária, depois de terem participado na primeira edição do festival em Portugal. Com eles vai também Miguel Araújo representar o nosso país.

Os pianistas Mário Laginha e Pedro Burmester preparam-se para atravessar o oceano Atlântico para interpretar, a quatro mãos, obras clássicas de outros autores como João Paulo Esteves da Silva, Pixinguinhaa e Aaron Copland, no Festival MIMO no Rio de Janeiro.

Na comitiva nacional vai Miguel Araújo que se estreará ao vivo no Brasil a convite do MIMO. O músico e compositor do Porto – que foi um dos convidados de Hamilton de Holanda na edição de estreia do MIMO Amarante – apresenta-se no Rio de Janeiro para um concerto exclusivo com Chico César. Dia 13, no Palco Se Ligaê,  na Praça Paris, o guitarrista dos Azeitonas junta-se, assim, ao autor dos hits “Mama África”, “À primeira vista” e “Mulher eu sei” para um espectáculo imperdível.

Além destes artistas portugueses, o MIMO Rio de Janeiro conta com a presença de Ney Matogrosso (Brasil) – que fará o concerto de encerramento do festival recordando os seus 40 anos de carreira -, Mário Lúcio (Cabo Verde), Pat Thomas & Kwashibu Area Band (Gana), Bixiga 70 (Brasil), João Bosco & Hamilton de Holanda (Brasil), entre muitos outros.

Depois de agitar as cidades históricas de Tiradentes, Ouro Preto e Paraty, o MIMO chega ao Rio de Janeiro dia 11 de novembro e até dia 13 oferece uma programação extensa e plural ocupando, com excelência, espaços do património histórico como igrejas, museus e parques.

Em 13 anos de existência do festival, esta será a segunda vez que o Rio de Janeiro receberá o MIMO. O palco principal situa-se na Praça Paris, na Glória, entre o Centro e o início da zona sul carioca. Igrejas históricas da cidade, como a Candelária e o Outeiro da Glória, patrimónios culturais que são cartões-postais da cidade, São Francisco da Penitência e Irmandade de Santa Cruz dos Militares também serão palcos de concertos.

O MIMO é um festival intrinsecamente associado ao património, à cultura, a bens culturais e à educação. A partir de Olinda traçou o seu caminho por importantes cidades históricas brasileiras: Recife, João Pessoa, Ouro Preto, Paraty e Tiradentes. O Rio de Janeiro, faz parte de todos os capítulos da História do Brasil. É Património Cultural da Humanidade pela Unesco. Considerando os valores do MIMO, achamos natural realizá-lo aqui desde 2015“, afirma Lu Araújo, diretora-geral do MIMO.

Do Rio de Janeiro, o festival parte para a sua cidade-mãe, Olinda, onde se realiza de 18 a 20 de novembro, encerrando a 13.ª edição do MIMO no Brasil. Zeca Baleiro (Brasil), Mário Laginha e Pedro Burmester (Portugal), Sons of Kemet (Reino Unido) e Mário Lúcio (Cabo Verde) são alguns dos artistas confirmados.

Em 2017 o MIMO regressa a Portugal para a 2ª edição em Amarante, de 21 a 23 de julho.

Comentários