Está aqui!
Home > Destaques > Joy Division: Capa de “Unknown Pleasures” recriada em mármore português

Joy Division: Capa de “Unknown Pleasures” recriada em mármore português

Joy Division
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone

Peter Saville, autor da capa do disco “Unknown Pleasures”, de Joy Division, recria agora esta imagem em mármore português. A exposição “Set in Stone” estraá patente no The Design Museum, em Londres, até 25 de outubro.

No âmbito da exposição Set In Stone, que faz parte do programa Primeira Pedra – organizado pela experimentadesign em parceria com a Assimagra e com curadoria de Guta Moura Guedes – o carismático designer de comunicação inglês Peter Saville, co-fundador da lendária editora discográfica independente Factory, apresenta um trabalho inédito, produzido especificamente para esta exposição.

A peça In Memoriam, de Peter Saville, autor de diversas capas de discos (New Order, Joy Division, Roxy Music, Pulp, David Byrne, entre muitos outros) é uma interpretação escultórica do gráfico que demonstra as pulsações sucessivas do CP1919 (a primeira estrela pulsar descoberta a partir de ondas de rádio, em 1967), que Saville utilizou para a icónica capa do disco Unknown Pleasures, de Joy Division, em 1979. O gráfico, que representa uma ilustração linear da frequência e simetria de um evento temporal, foi transposto para 3D por Saville e o seu colega Bill Holding dos Morph em 2002 – resultando numa escultura de um momento no tempo. As associações entrópicas que habitam a história deste trabalho são amplificadas por esta reprodução em pedra monumental – reflectindo o que Michael Bracewell escreve sobre o trabalho de Saville para os Joy Division, vendo-o como “a prova documental de um crematório nas profundezas do espaço”.

Feito em mármore Ruivina Escuro, com 305x305x1077mm e 250kg de peso, In Memoriam é apresentado num conjunto de 20 trabalhos de 9 arquitectos e designers, reunindo as três áreas de trabalho – arquitectura, design de produto e design gráfico – no exterior e interior do The Design Museum, inaugurado em 1989.

Para além do trabalho de Peter Saville, as peças apresentadas em Londres são da autoria dos portugueses Eduardo Souto de Moura, Paulo David, Miguel Vieira Baptista e Jorge Silva, do atelier chileno Elemental, do inglês Jasper Morrison, do cipriota Michael Anastassiades e da dupla austríaca e americana Sagmeister & Walsh.

Comentários
Top

Este site utiliza cookies próprios e da Google para personalizar conteúdo e anúncios, funcionalidades de redes sociais e análise de tráfego. A informação contida nestes cookies pode ser partilhada com os nossos parceiros fornecedores das funcionalidades descritas atrás. Ao navegar neste site, estará a consentir a utilização destes cookies. Saiba mais sobre o uso de cookies.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

X