“I, Daniel Blake”, o mais recente filme de Ken Loach, distinguido na última edição do Festival de Cannes com a Palma de Ouro, é apresentado na Cinemateca a 30 de novembro, numa sessão extra-programa de ante-estreia, organizada em colaboração com a Midas Filmes, marcando a abertura de uma retrospetiva Ken Loach, a decorrer em dezembro.

“I, Daniel Blake” estreia comercialmente a 1 de dezembro, enquanto a retrospetiva dedicada à obra do realizador britânico decorre, na Cinemateca, entre 2 e 30 de dezembro, propondo um programa representativo do cinema de Loach.

Marcado por uma forte consciência política e social, pelo registo realista, pela dimensão cronista da vida da classe operária britânica, o trabalho para cinema de Ken Loach é evocado com a apresentação de outros doze dos seus filmes, realizados para cinema entre 1967 e 2014. Além de “Poor Cow” e “The Spirit of 45”, os filmes cujas datas balizam o programa, apresentam-se “Kes / Os Indomáveis” (1969), “Family Life / Vida em Família” (1971), “Looks and Smiles” (1981), “Hidden Agenda / Agenda Secreta” (1990), “Riff Raff” (1991), “Raining Stones / Chuva de Pedras” (1993), “Ladybird, Ladybird” (1994), “My Name Is Joe” (1998) e “Looking for Eric / Meu Amigo Eric” (2012).

I, DANIEL BLAKE

Eu, Daniel Blake” de Ken Loach
com Dave Johns, Hayley Squires, Sharon Percy, Brianna Shann, Dylan McKiernan
Reino Unido, França, Bélgica, 2016 – 100 min / legendado em português | M/12 – 23h

Palma de Ouro na última edição do Festival de Cannes, I, DANIEL BLAKE é o mais recente filme de Ken Loach, um retrato da realidade social britânica contemporânea, centrada no seu sistema de segurança social, na infernal burocracia dele em tempos de austeridade, e nos seus efeitos devastadores sobre os destinos individuais. O protagonista é Daniel Blake, um cidadão de Newcastle que trabalhou a maior parte da sua vida como marceneiro e, num momento de doença em que está clinicamente impedido de trabalhar, precisa do apoio do Estado. A vida de Daniel Blake cruza-se com a de Katie, uma mãe solteira desempregada, e os seus dois filhos pequenos, que acabaram de mudar-se para ali, depois de uma temporada a viverem numa residência para sem-abrigo em Londres. A sessão é organizada em colaboração com a Midas Filmes, que estreia comercialmente o filme a 1 de dezembro, marcando, na Cinemateca, o início de uma retrospetiva da obra de Ken Loach a decorrer em dezembro.

Comentários