Está aqui!
Home > Música > Concertos > Hard Club delira com Epica

Hard Club delira com Epica

Epica
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone

Os Epica passaram pelo Porto, quarta-feira com “The Ultimate Principle Tour Europe”. A Sala 1 do Hard Club estava cheio de gente para se deliciar com o metal sinfónico dos holandeses.

Foi ao som de “Jasmin” e com a encantadora dançarina portuguesa Mara Priscila em palco, que se deu inicio a uma noite mágica na sala 1 do Hard Club.

Os Tunisinos Myrath tem ao longo dos tempos conseguido angariar muitos fãs em terras lusas e a prova disso foi como foram recebidos nesta noite por uma já muito bem composta sala.

Temas como “Believer” e “Merciless Times” foram entoados juntamente com o simpático vocalista Zaher, que comunicou várias vezes em português com o público.

Uma atuação que apesar de curta englobou todos os elementos da sonoridade dos Myrath, os seus refrões orelhudos,escalas arábicas, deixando assim ao púbico uma grande vontade de os voltar a receber.

Seguiu-se Anneke e os “seus” VUUR que provocaram a surpresa da noite, não porque o público desconhecesse-se a carreira de Anneke mas pela forma coesa e intensa com que se apresentaram em palco.

A simpática e sempre sorridente vocalista Anneke está numa forma vocal fabulosa, encantou o Porto com esta sua nova abordagem mais progressiva, mais pesada mas sem perder a melodia com que nos habituou.

“My Champion-Berlin”,“Days go By-London “ são um bom exemplo que as músicas dos holandeses VUUR funcionam muito melhor ao vivo do que em estúdio, a paixão e energia com que as tocam conseguiram sem muita dificuldade convencer o público português.

Houve ainda tempo para um regresso ao passado com “Strange Machines” dos The Gathering que acabou por ser um dos momentos mais emotivos da sua atuação e talvez da noite.

Se antes com a atuação dos VUUR o público já estava bastante animado, com a entrada dos Epica em palco a fasquia do espetáculo subiu consideravelmente tanto a nível de som como de luzes.

Sem muitas surpresas “Eidola” e “Edge of The Blade” serviram de mote para inicio de uma atuação segura ,sem quaisquer falhas e com uma voz irrepreensível da graciosa Simone Simons.

O sucesso dos Epica passa também pelos seus concertos, carregados de jogos de luzes magníficos, temas interpretados na perfeição como uma verdadeira “ máquina” se tratasse.

Não faltaram temas como “Cry for the Moon”, “Sancta Terra” e o explosivo “Consign To Oblivion” a fechar com um público completamente rendido ao metal sinfónico dos holandeses.

Mesmo com algumas recentes passagens dos Epica por Portugal, a sala 1 do Hard Club estava completamente cheia e o público correspondeu sempre de forma efusiva durante toda a atuação da banda.

Para acederes à galeria completa clica aqui.

Texto: Miguel Vieira
Fotografias: Bruno Ferreira

Comentários
Top

Este site utiliza cookies próprios e da Google para personalizar conteúdo e anúncios, funcionalidades de redes sociais e análise de tráfego. A informação contida nestes cookies pode ser partilhada com os nossos parceiros fornecedores das funcionalidades descritas atrás. Ao navegar neste site, estará a consentir a utilização destes cookies. Saiba mais sobre o uso de cookies.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

X