Está aqui!
Home > Dança > Guimarães pulsa ao ritmo do GUIdance

Guimarães pulsa ao ritmo do GUIdance

GUIdance
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone

De 2 a 11 de fevereiro, Guimarães recebe a 7ª edição do GUIdance. O Festival apresenta 9 espetáculos entre os quais 2 estreias absolutas e 4 estreias nacionais.

A abrir um cartaz de 9 espetáculos, o GUIdance recebe Russell Maliphant pela primeira vez em Portugal, num momento em que celebra 20 anos de carreira. Para encerrar com chave de ouro, o festival apresenta um espetáculo de Wim Vandekeybus, também ele a assinalar a notável longa existência da sua companhia fundada há 30 anos. Destaque, ainda, para a presença de Tânia Carvalho, coreógrafa central no panorama da dança contemporânea em Portugal, com a estreia absoluta de uma nova criação e a reposição de uma peça do seu valioso reportório. À semelhança dos anos anteriores, os espetáculos desdobram-se entre o Centro Cultural Vila Flor e a Plataforma das Artes e da Criatividade. Deixemo-nos levar pela dança.

O arranque da 7ª edição do GUIdance está marcado para 02 de fevereiro, às 21h30, no Grande Auditório do Centro Cultural Vila Flor (CCVF) com a estreia nacional de “Conceal/Reveal”, espetáculo que celebra duas décadas de colaboração entre o conceituado coreógrafo Russell Maliphant e o pioneiro designer de luz Michael Hulls, que juntos têm criado uma linguagem única entre luz e movimento.

Na noite seguinte, 03 de fevereiro, à mesma hora, no Pequeno Auditório do CCVF, o festival recebe a mais recente cocriação de João dos Santos Martins e Cyriaque Villemaux, “Autointitulado”, uma peça que estilhaça um conjunto de referências e memórias da dança.

No dia 04, às 18h30, desta vez na Black Box da Plataforma das Artes e da Criatividade, a dupla Jonas & Lander estreia no GUIdance “Adorabilis”, uma criação que se serve da riqueza da biodiversidade cultural e natural para criar uma dança-labiríntica.

Na noite de 04 de fevereiro, às 21h30, no Grande Auditório do CCVF, Tânia Carvalho apresenta, em estreia absoluta no GUIdance, a sua mais recente peça, “Captado pela Intuição”, um solo que se situa entre o abstracionismo lírico e o figurativismo. Coreógrafa em destaque nesta edição, Tânia Carvalho retorna ao GUIdance no dia 08, às 21h30, agora na Black Box da Plataforma das Artes e da Criatividade, com a remontagem de “De Mim Não Posso Fugir, Paciência!” (2008), um espetáculo que explora a relação de interdependência entre a música e a dança.

A 09 de fevereiro, no Grande Auditório do CCVF, Luís Guerra apresenta “A Tundra”. Depois das incursões anteriores, que também envolvem natureza, Luís Guerra explora esta zona inóspita em que o belo “se desenha por entre ventos fortíssimos”. Nova estreia nacional no dia 10, agora pelas mãos de Jefta van Dinther e Thiago Granato. Às 21h30, a dupla traz ao Pequeno Auditório do CCVF “This is Concrete”, uma coreografia que se aventura na encenação de algo íntimo em que o público é desafiado a embrenhar-se no espetáculo, como quem se suspende no tempo.

O GUIdance dá por encerrada a sua 7ª edição no dia 11 de fevereiro novamente com uma dose dupla de espetáculos. Às 18h30, na Plataforma das Artes e da Criatividade, o palco pertence a Ana Jezabel e António Torres que apresentam no festival a estreia absoluta de “A importância de ser (des)necessário”, peça que reflete sobre as várias “mortes” por que vamos passando ao longo da vida. Às 21h30, no Grande Auditório do CCVF, o GUIdance fecha com a estreia nacional de “Speak low if you speak love”, de Wim Vandekeybus, espetáculo que reafirma a relação de grande cumplicidade entre o coreógrafo belga e o músico Mauro Pawlowski.

À semelhança das edições anteriores, o festival apresenta um cartaz de atividades paralelas que aproximarão público, artistas, escolas e pensadores, afirmando o GUIdance como um importante acontecimento artístico no calendário de inverno. Há masterclasses com Russell Maliphant e Nuhacet Guerra da Companhia Ultima Vez de Wim Vandekeybus, conversas pós-espetáculo, sessões para escolas e debates sobre a questão da autoria, um tema instigador que terá dois tempos e dois painéis diferentes dentro da janela do festival, moderados pela jornalista Cláudia Galhós. O meeting point do festival acontece todas as sextas e sábados, a partir de meia-noite, no Café Concerto do CCVF com direito a dj set.

Os bilhetes para o GUIdance já se encontram à venda nas bilheteiras do Centro Cultural Vila Flor e da Plataforma das Artes e da Criatividade, bem como nas lojas Fnac e El Corte Inglês, entre outros pontos de vendas, e na internet em www.ccvf.pt e oficina.bol.pt.

O preço dos bilhetes varia entre os 10,00€ e os 3,50€ e há ainda a possibilidade de adquirir diferentes assinaturas para o festival. Os alunos que frequentam Escolas de Artes Performativas têm um preço especial de 4,00€ nos espetáculos.

O programa completo do GUIdance pode ser consultado em www.ccvf.pt.

Comentários
Top

Este site utiliza cookies próprios e da Google para personalizar conteúdo e anúncios, funcionalidades de redes sociais e análise de tráfego. A informação contida nestes cookies pode ser partilhada com os nossos parceiros fornecedores das funcionalidades descritas atrás. Ao navegar neste site, estará a consentir a utilização destes cookies. Saiba mais sobre o uso de cookies.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

X