Os GNR são uma referência incontornável da música feita em Portugal e do imaginário dos portugueses ao longo dos últimos 35 anos. Essa relação de proximidade será celebrada com dois concertos com um alinhamento totalmente dedicado aos seus maiores êxitos e convidados de peso.

As letras únicas de Rui Reininho, assim como o seu carácter singular em palco, aliadas às composições de Tóli César Machado e linhas de baixo de Jorge Romão são responsáveis por inúmeros singles que continuam a marcar várias gerações através dos GNR.

Depois dos primeiros singles Portugal na CEE e Sê um GNR, começa uma longa lista de êxitos como “Dunas”,  “Efectivamente”, “Bellevue”, “Morte ao Sol”, “Video Maria”, “Sangue Oculto”, “Pronúncia do Norte”, “Ana Lee”, “Sub-16”, “Mais Vale Nunca”, “Tirana”, “Popless”, “Asas (eléctricas), “Sexta-Feira”, ou “Cadeira Eléctrica” do mais recente álbum Caixa Negra .

Foi este último registo que deu origem à recente nomeação para “Melhor Grupo” nos Globos de Ouro de 2016, que já tinha sido considerado Melhor Álbum do Ano para a Revista Blitz e um dos 10 Melhores para o semanário Expresso.

Dois espetáculos que marcam um momento alto na carreira da icónica banda do Porto. Duas grandes produções que percorrem as memórias da banda até à atualidade.

Comentários