Está aqui!
Home > Música > Concertos > Gal Costa no Coliseu do Porto: Uma Voz que é Vinho do Porto

Gal Costa no Coliseu do Porto: Uma Voz que é Vinho do Porto

Gal Costa
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone

Gal Costa esteve domingo, dia 12, no Coliseu do Porto para um espetáculo que comemora os seus 50 anos de carreira. O alinhamento repleto de êxitos e a sala Portuense quase cheia foram a combinação perfeita para uma noite encantadora.

Tal como o Vinho do Porto, Gal Costa mostrou, mais uma vez, que os seus 72 anos são apenas números para aquela que é a sua presença em palco. Unicamente com o músico Guilherme Monteiro a acompanhá-la, Gal Costa impressionou o Coliseu com a sua voz firme que enche qualquer teatro.

“Cara e Bocas” deu início ao espetáculo mas foi “Minha Voz, Minha Vida” a primeira canção a arrancar aplausos efusivos do público. A artista não precisou de grandes palavras durante o espetáculo porque os seus êxitos falavam por si.

O Músico Guilherme Monteiro foi alternando entre viola e guitarra elétrica durante toda a noite e mostrou estar à altura da exigência de acompanhar uma artista com 50 anos de estrada. “Esta parceria nasceu muito naturalmente (…) foi como deitar numa cama” – Gal Costa contou a história de como conheceu o músico e arrancou várias gargalhadas à plateia.

Foi com a guitarra elétrica que se ouviu a emblemática “Vaca Profana”, canção escrita por Caetano Veloso em 1986. Mas foi com ao som do “violão” que a artista entoou as conhecidas “Sua Estupidez” e “Coração Vagabundo”, ambas cantadas pelo público e muito aplaudidas.

“Este tema foi da fase tropicalista da minha carreira” – “Negro Amor” data dos anos 70 e é um tema original de Bob Dylan (It’s All Over Now, Baby Blue) que Caetano Veloso e Péricles Cavalcanti traduziram para Português. Uma canção de protesto e crítica à sociedade americana.

“Portugal, que terra bonita vocês têm. Lisboa é linda, o Porto então..” – A artista mostrou gostar muito de Portugal e confessou que Amália Rodrigues é a sua grande Deusa, “Uma das maiores artistas que o mundo já viu”. A noite continuou com Gal Costa a acompanhar a guitarra elétrica com uma pandeireta nos temas “Tigresa” e “Tuareg”. Esta última, da fase mais radical na sua era Tropicalista.

Já na reta final, a artista cantou “Você Não Entende Nada” e o público passou com excelência quando foi testada a sua afinação. “O Meu Nome É Gal” encerrou o tempo regulamentar do espetáculo mas muita música ainda estava por vir.

“Modinha Pra Gabriela” marcou o início do Encore e a volta da artista ao palco. O tema emblemático composto por Dorival Caymmi em 1975 ficou imortalizado na voz de Gal Costa. Seguiu-se “Dia De Domingo” e novamente uma saída da cantora de palco.

Mas o público queria mais e Gal Costa regressou para cantar “Índia” e brindar a plateia com “Uma Casa Portuguesa” de Amália Rodrigues. Um dos momentos mais emocionantes e arrepiantes da noite com o público a cantar o fado de 1953.

A cantora brasileira volta a sair do palco e, quando muitos pensavam que seria o fim do concerto, Gal Costa reaparece para encerrar verdadeiramente o espetáculo. “Meu Bem, Meu Mal” e “Força Estranha” já não estavam no alinhamento mas foram as responsáveis por fechar a noite.

“Por isso eu canto/ Por isso não posso parar/ Por isso esta voz tamanha” – A letra de “Força Estranha” do ano 1979 mostrou estar cada vez mais atual. Gal Costa não deve parar de cantar porque aquilo que faz com 72 anos é absolutamente fantástico.

Terminou assim a última de três noites em Portugal. Gal Costa encantou o Porto e o Porto aplaudiu-a de pé.

Para acederes à galeria completa clica aqui.

Texto: Daniela Fonseca
Fotografias: Bruno Ferreira

Comentários
Top

Este site utiliza cookies próprios e da Google para personalizar conteúdo e anúncios, funcionalidades de redes sociais e análise de tráfego. A informação contida nestes cookies pode ser partilhada com os nossos parceiros fornecedores das funcionalidades descritas atrás. Ao navegar neste site, estará a consentir a utilização destes cookies. Saiba mais sobre o uso de cookies.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

X