Ao fim de seis anos, os Foo Fighters estiveram de volta ao NOS Alive para brindarem os fãs com duas horas de puro rock ancoradas a um desfile de grandes sucessos.

Passavam poucos minutos da meia noite quando os Foo Fighters subiram ao Palco NOS decididos a tornar esta noite em algo memorável. Dave Grohl sabe que já lá vai muito tempo – pelo menos para os verdadeiros fãs – desde a sua última passagem por cá e se calhar foi por isso mesmo que não perdeu tempo e começou logo a atirar-nos com os maiores hits como “All my life”, “Times like this” e “Learn to fly”. Em menos de nada estávamos a passear pelos anos 2000 e com um sorriso estampado no rosto.

“Something from nothing” antecedeu “Pretender” e o frontman avisou-nos logo que esta ia ser uma noite muito longa: “Vamos tocar o maior tempo que conseguirmos e o mais alto possível”. Telemóveis e mais telemóveis, gentes nos ombros de outras gentes, tudo a vibrar e a tornar esta noite inesquecível tanto para a banda como para os festivaleiros.

Dave Grohl, para além de ser um músico com qualidades que estão a mais do que à vista, mostrou-se um verdadeiro mestre do entretenimento quando pousa a guitarra e entra num jogo de troca de bolas com a plateia.

Num medley que continha “Another Ond Bites The Dust” (Queen) por exemplo, apresentou os colegas e amigos de palco: Nate Mandel (baixo), Taylor Hawkins (bateria), Chris Shiflett e Pat Smear (guitarra) e Rami Jaffee (teclado).

“My Hero” foi dedicada a todos os fãs da banda de Seattle e neste preciso momento, as 55 mil pessoas que inundavam o NOS Alive entraram (ainda mais) em êxtase e cantaram numa só voz.Alison Mosshart foi convidada a subir ao palco onde interpretou, num dueto de cortar a respiração, “La Dee Da” que faz parte de “Concrete and Gold” dos Foo Figthers.

Mas a festa ainda não tinha terminado ou pelo menos não podia acabar sem ouvirmos a tão afamada “Best of You” que serviu de power shot a todos aqueles que estavam prestes a render-se ao cansaço e de cama para a poderosa “Everlong” que deu por encerrada a noite de sexta-feira.

Foram duas horas e meia de rock e mais rock, energia e mais energia e todos saíram do recinto de sorriso de orelha a orelha.

O NOS Alive termina este sábado, dia 8 de julho, com Depeche Mode, Imagine Dragons e Kodaline.


Texto: Hugo Sousa
Fotografia: Hugo Macedo | NOS Alive

Comentários