O segundo dia do NOS Primavera Sound arrancou na língua de Camões com os First Breather After Coma. Mais ao lado, coube aos Pond pontapearem a sua pop psicadélica para o meio do público.

Segundo dia do NOS Primavera Sound 2017. Calor, sol, flores e mantas espalhadas. Hoje as pessoas vieram mais cedo até ao Parque da Cidade não só porque o tempo assim o convida mas porque seria também um dos dias mais fortes do Festival. Esta sexta-feira é dia de arrancarmos de Portugal e irmos até à Austrália com os primeiros dois espetáculos do dia.

O arranque estava agendado para as 17h no Palco Super Bock com os First Breath After Coma. A língua de Camões foi a escolhida para dar o pontapé nestes últimos dois dias e com dois nomes com bom suporte musical.

Em meados de 2012 surgia algures em Leiria um grupo com o foco no post-rock e em menos de nada ficaram na boca do mundo. Em 2012 surgiam os First Breath After Coma e em menos de nada afirmaram-se como uma grande promessa do novo talento nacional. Festivais, pequenos e grandes palcos, os leirienses não param e por onde passam fazem mossa.

O post-rock dos portugueses, com boas críticas além fronteiras, tem vindo a evoluir e foi isso que vieram cá mostrar esta sexta-feira. Subiram ao Palco Super Bock com dois discos na bagagem prontos a atirarem as suas canções a uma plateia bastante bem composta e destinados a entrarem em transe.

Para acederem à galeria completa clica aqui.

Pelas 18h, ali mais ao lado no Palco NOS, era a vez dos Pond darem início às festividades por estas bandas. Aqueles que podem até ser considerados uma espécie de extensão oficial dos Tame Impala – que vieram ao Passeio Marítimo de Algés em 2016 e partiram tudo – até porque, coincidência ou não, partilham membros: Kevin Parker e Nick Allbrook.

A Pop Psicadélica, o Pop Trippy, são a razão de ser dos australianos e foi isso que nos trouxeram com “Man, Feels Like Space Again”, o seu mais recente disco. Eles não andam nas sombras de ninguém, ancorados a prestigio de outros, eles andam pelo seu próprio pé, sem medos e receios, cobrindo um espectro que vai de Pink Floyd a Super Furry Animals.

Foram os responsáveis pela primeira enchente do dia em frente ao palco principal, ainda que houvesse muita gente espalhada e concentrada nas zonas de maior sombra. Com um sol de verão, a entranhar-nos a pele, o que viemos cá fazer foi ouvir música e não ficar doentes, certo?

Para acederem à galeria completa clica aqui.


Texto: Mónica Ferreira

Fotografias: Bruno Ferreira

Comentários