Está aqui!
Home > Destaques > Feira do Livro do Porto homenageia Sophia de Mello Breyner

Feira do Livro do Porto homenageia Sophia de Mello Breyner

Feira do Livro do Porto
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone

Arranca esta sexta-feira mais uma edição da Feira do Livro do Porto nos Jardins do Palácio de Cristal, dedicada a Sophia de Mello Breyner. A Feira decorre até 17 de setembro com debates, sessões de spoken-word, música e teatro.

Este ano, a Feira do Livro do Porto homenageia Sophia de Mello Breyner, ficando a cargo do seu filho, Miguel Sousa Tavares, dar o arranque do ciclo de debates já este sábado, dia 2 de setembro, com Ana Luísa Amaral e Frederico Lourenço. Isto acontece depois de uma cerimónia de homenagem na Avenida das Tílias na qual irá participar Luís Filipe Castro Mendes, Ministro da Cultura.

No primeiro dia da Feira do Livro do Porto, dia 1 de setembro, será inaugurada uma exposição na Galeria Municipal sobre a obra de Sophia, assim como os quatro elementos da Natureza que nela estão presentes através de quatro curadores diferentes – Pedro Faro (fogo), Eduarda Neves (terra), Nuno Faria (ar) e Ana Luísa Amaral (água). A exposição estará patente até 12 de novembro.

A programação cultural inclui ainda um ciclo de cinema, exposições, várias oficinas e atividades para crianças, que decorrem nos próprios jardins e na Biblioteca Almeida Garrett, entre outros espaços.

De todos os convidados internaciona, há que destacar Laurent Binet, o escritor francês que estará presente numa sessão de debate a 16 de setembro, intitulada “O que pode a língua?”. Esta sessão será moderada por Ana Sousa Dias e sobre “realidade e ficção, e sobre a linguagem como instrumento de transformação do Homem e do mundo”.

Dia 3 de setembro, domingo, Han Kang – a sul-coreana que no ano passado venceu o “Man Booker International” com “A Vegetariana” – marcará presença num debate sobre “A Solidão do Oriente”, onde será discutida “a situação da mulher numa sociedade conservadora, como é a coreana, a solidão e a loucura”.

Teju Cole, o autor nigeriano e norte-americano, terá com Isabel Lucas uma conversa sobre “caminhos da nova literatura africana” isto depois de, no dia anterior, Tatiana Salem Levy – escritora e tradutora brasileira – e Dulce Maria Cardoso discutirem se “a literatura pode salvar o mundo”, num debate moderado por Raquel Marinho.

A 16 de setembro, o evento recebe um colóquio sobre o trabalho de Óscar Lopes (1917-2013), antigo diretor da Faculdade de Letras da Universidade do Porto, que se destacou como linguista, crítico e historiador literário, com a participação de Artur Santos Silva, Carlos Magno, Isabel Margarida Duarte, José Luís Borges Coelho, José Manuel Mendes, José Pacheco Pereira e Viriato Pina Moura, com moderação de Isabel Pires de Lima.

O texto “Comunidade”, de Luiz Pacheco, um registo “íntimo e autobiográfico” que serve de “testemunho dos anos de privação do escritor, polemista e editor (1925-2008)”, será levado ao palco por Maria Duarte, Gonçalo Ferreira de Almeida e João Rodrigues, a 16 e 17 de setembro.

Esta será a quarta vez que o evento é organizado pela Câmara do Porto, que apontou a mesma configuração e número de pavilhões de 2016 – 131 –, depois de no ano passado ter batido um recorde de visitantes: mais de 250 mil visitas, segundo os números revelados pelo município.

Comentários
Top

Este site utiliza cookies próprios e da Google para personalizar conteúdo e anúncios, funcionalidades de redes sociais e análise de tráfego. A informação contida nestes cookies pode ser partilhada com os nossos parceiros fornecedores das funcionalidades descritas atrás. Ao navegar neste site, estará a consentir a utilização destes cookies. Saiba mais sobre o uso de cookies.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

X