O final de tarde do NOS Primavera Sound 2017 fez-se com o R&B contemporâneo de Miguel e os Run The Justice receberam a primeira noite do Festival com hip hop.

Pois bem, se Samuel Úria e Cigarettes After Sex foram o motor de arranque da tarde NOS Primavera Sound, coube a Miguel e Run the Jewel darem as boas-vindas à primeira noite do Festival.

Se até então o recinto estava a meio gás, mas com gente sempre a entrar, e ainda que meio para o parado, com Miguel as coisas já foram bem diferentes. Pessoas deitadas nas suas mantinhas com as mochilas catitas tradicionais do Festival a servirem de almofada só lá nos fundos. As primeiras filas estavam repletas de gente cheias de energias destinadas a dar tudo por tudo com Miguel.

Ainda que a hora do jantar tenha sido a escolhida para a sua atuação, o que menos faltaram foram pessoas cheias de energias que preferiram adiar a paparoca para assistir ao espetáculo do americano que inundou o Parque da Cidade com Soul, R&B ainda um cheirinho de Funk.

Um fundo adornado por um jogo de cores psicadélico e uma linha de baixo que marca o arranque deste concerto. Medo? Alguém pelo anfiteatro com uma pontinha de medo? Só se fosse de não conseguir não sucumbir às investidas melódicas de Miguel e a sua banda.

Foi de braços abertos que recebemos o anoitecer, acompanhados de “Wildheart”, o último disco do norte-americano lançado em 2015. À semelhança do que se passou em Barcelona, no mesmo festival, não houve ninguém que ficasse indiferente e que parasse por um único segundo.

Carisma, diversão e “Do You Like Drugs?” fazem-nos recuar a 2012. Microfone com franjinhas brancas, casaco de cabedal, camisa toda colorida, um olhar que… mata, explode com “Hollywood Dreams”. Não estávamos em Hollywood, apenas no Porto, ali mesmo à beirinha do mar mas ele foi uma das estrelas da primeira noite do NOS Primavera Sound.

Guitarras, muitas guitarras, muitos solos e este é o local certo para isso. Aqui ninguém se incomoda com estes momentos. Pelo contrário, sabem e gostam de os apreciar. Equiparado a Prince, Miguel, que partilha o primeiro lugar do R&B com Frank Ocean, canta-nos com um sorriso rasgado, de orelha a orelha, “How Many Drinks?”. Entre jogos de sedução, piscar de olhos às primeiras filas, a verdade é que “He’s Got The Love”.

Para acederes à galeria completa clica aqui.

Os Run the Jewel subiram ao Palco NOS ao som de “We are the Champions” dos Queen. Um Parque da Cidade repleto de gente a cantar em plenos pulmões e prontos a dar tudo por tudo com o hip hop dos americanos.

Nasceram em 2013 mas já contam com uma legião de fãs por cá – e por todo o mundo – tornando assim esta atuação no concerto da noite. Killer Mike e El-P e nós, “You beautiful beautiful people” como nos chamam, entram cheios de swag a matar tudo e a deixar o público completamente louco. Moches e mais moches, “RTJ RTJ” entoado pelos fãs e parecia que estávamos no meio de uma manifestação. Por acaso até estávamos. Numa manifestação assumida de hip hop que arrebataria o público presente.

Para quem não conhecia nem era fãs, ficou com o bichinho e assim que começaram a ouvir esta dupla depressa se foram chegando para bem perto do palco para apreciar esta revolução.

Cartazes com “Kill You Masters”, e durante pouco mais de uma hora o NOS Primavera Sound foi verdadeiramente feliz. Mãos no ar, saltos e gritos, tudo, no meio de uma névoa que vinha do público e se estendia pela frente de palco ouve-se “Nobody Speak, Nobody Gets Choked” com o cunho afirmado de DJ Shadow.  “Close Your Eyes (And Count To F**k)”, “Lie, Cheat, Steal” foram outros dos temas que trouxeram até à Invicta.

Declarações quase de amor por nós por parte do balelas El-P, a levar-nos ao expoente máximo. Não conheciam esta dupla? Não faz mal, indiferente não ficaram e uma coisa é certa: ficámos bem quentinhos para os Justice que dariam por encerrada a primeira noite em Matosinhos.

Para acederes à galeria completa clica aqui.


Texto: Mónica Ferreira

Fotografia: Bruno Ferreira

Comentários