Está aqui!
Home > Destaques > “Do Bosque para o Mundo” explica às crianças a crise dos refugiados

“Do Bosque para o Mundo” explica às crianças a crise dos refugiados

Refugiados
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone

Nos dias 13 e 14 de outubro, o Serviço Educativo do Centro Cultural Vila Flor (CCVF) apresenta “Do Bosque para o Mundo”, de Inês Barahona e encenação de Miguel Fragata.

O espetáculo gira em torno da história de um rapaz, Farid, refugiado afegão, e confronta o público com a dureza dos factos ao mesmo tempo que realça a coragem humana. Uma história aparentemente distante, mas que podia ser a de qualquer um, que nos obriga a pensar no mundo em que vivemos. No dia 13, sexta-feira, estão reservadas duas apresentações para escolas (às 10h30 e às 15h00) e no dia 14, às 16h00, a sessão é destinada a famílias.

Esta sexta e sábado, o Pequeno Auditório do CCVF acolhe uma peça com texto de Inês Barahona e encenação de Miguel Fragata, dirigida às crianças a partir dos 10 anos de idade. Os dois autores procuravam grandes temas da atualidade e a crise dos refugiados, sendo um deles, pareceu um assunto essencial. “Começámos à procura de histórias que fossem contadas na primeira pessoa, de crianças refugiadas e ficámos tão envolvidos pelo tema que achámos que era sobre isto mesmo que tínhamos de falar”, explicou o encenador.

O cenário faz-se de malas de viagem espalhadas no palco e de um grande mapa da Europa, no qual se reproduz a viagem dos dois irmãos retratados na peça, Farid e Reza, duas crianças refugiadas afegãs que são enviadas para Inglaterra pela mãe. “Interessava-nos dar a conhecer esta realidade e abrir espaço para que adultos e crianças possam falar sobre este tema, que está tão próximo e presente na nossa realidade, aqui ao lado, e muitas vezes sentimos que há uma pressão para esconder debaixo do tapete. O que nos interessa é levantar esse tapete”, prossegue Miguel Fragata.

Por sua vez, Inês Barahona explica que o importante é dar a conhecer às crianças (e adultos), o horror de quem tenta escapar à guerra, dando espaço e confiando “na inteligência das crianças para que façam a sua leitura e a sua reflexão. Quando isso acontece, as questões naturais de cada um emergem”. Esta realidade cruel, apesar de geograficamente distante e situada num contexto social e político muito contrastante com o que aqui se vive, carrega um ponto comum essencial: todos são crianças e todas as crianças partilham necessidades e medos.

Para que a história pudesse chegar a todos, independentemente do nível de conhecimento de cada um, foi fundamental que a própria peça esclarecesse aos mais novos conceitos como tráfico, asilo ou as regras e leis dos países europeus, algo conseguido através de diversas estratégias apelativas para os mais novos.

“Do Bosque para o Mundo” é a história de um rapaz, entre a vida e a morte, que nos faz olhar para a história de cada um e para o mundo que partilhamos e em que todos vivemos.

Os bilhetes para a sessão de sábado, dia 14, encontram-se disponíveis nos pontos de venda habituais, podendo ser adquiridos nas bilheteiras do Centro Cultural Vila Flor, da Plataforma das Artes e da Criatividade e da Casa da Memória de Guimarães, bem como nas lojas Fnac e El Corte Inglês, entre outros pontos de vendas, e na internet em www.ccvf.pt e oficina.bol.pt.

Comentários
Top

Este site utiliza cookies próprios e da Google para personalizar conteúdo e anúncios, funcionalidades de redes sociais e análise de tráfego. A informação contida nestes cookies pode ser partilhada com os nossos parceiros fornecedores das funcionalidades descritas atrás. Ao navegar neste site, estará a consentir a utilização destes cookies. Saiba mais sobre o uso de cookies.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

X