Diogo Piçarra lançou no passado mês de fevereiro “Diogo Piçarra em Pessoa”. Um livro que estimula o processo criativo de descoberta, reinvenção e reconstrução da obra de Fernando Pessoa e seus heterónimos.

Somos todos poetas“, é assim que Diogo Piçarra dá início a esta aventura pela obra de Fernando Pessoa numa sucinta nota de autor. Segue-se uma breve biografia de Pessoa e de Piçarra e eis que começam os desafios. Depois de conhecermos os dois autores, é a nossa vez de nos conhecermos e escrevermos sobre nós, sempre tendo por base a obra pessoana.

De seguida é-nos logo indicado que vamos iniciar uma viagem, através de um desenho de um comboio, mas não é uma viagem qualquer. A partir de agora vai-nos ser dado a conhecer um pouco da obra daquele que é uma das maiores referências da literatura portuguesa: Fernando Pessoa.

comboio

Assim, Diogo Piçarra reinventa-se em Pessoa e na sua heteronímia, onde o músico português reconstrói 20 poemas pessoanos baseando-se nas suas vivências que, por sua vez, levou à necessidade da criação de três heterónimos: Luna Thea, Ingenuo Garcia e Walter Ego.

Ao longo do livro vamos percebendo que Luna Thea, Ingenuo Garcia e Walter Ego, com personalidades bastante distintas entre si vão, de uma forma simples e crua, responder às “investidas escritas” de Álvaro de Campos, Alberto Caeiro e Ricardo Reis, respetivamente, como se de uma troca de cartas se tratasse, quase como o “lado bom” e o “lado mau” de uma história

É um livro bastante interativo na medida em que o leitor, a cada poema, é desafiado a criar a sua própria versão dos poemas de Pessoa, criando também os seus próprios heterónimos e as suas respetivas biografias, tendo a obra de Piçarra como ponto de partida, que nos explica e mostra como podemos reinventar a obra de Pessoa de acordo com o nosso ponto de vista mas sempre sem perder a essência original do escritor português.

Mas cada poema não existe por si só. A acompanhar, existem pequenas representações das obras através de ilustrações, de Ana Gabriela, feitas de propósito para o efeito que, de uma forma ou outra, ajudam-nos na interpretação e análise da obra de Pessoa.

Com uma escrita objetiva, simples e direta, Diogo Piçarra leva-nos a conhecer Fernando Pessoa mas revela-nos também, de forma ainda que indireta, pequenos trechos da sua vida, expelindo diversas emoções através da escrita.

“Diogo Piçarra em Pessoa”, é um projeto criativo, destinado para os alunos do 7º ao 12º anos de escolaridade, que incentiva à descoberta, à reinvenção e reconstrução da obra pessoana e dos heterónimos, tornando assim a aprendizagem mais agradável e cativante.

IMG_6367

Comentários