Está aqui!
Home > Destaques > de Turquoise: ‘Não sei onde vou chegar e a piada é precisamente não saber’

de Turquoise: ‘Não sei onde vou chegar e a piada é precisamente não saber’

de Turquoise
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone

Depois do lançamento do seu primeiro EP a solo, “Camomila”, André Júlio Teixeira fala-nos sobre esta nova experiência e o conceito por detrás de de Turquoise.

Multi-instrumentista, formado em música e teatro, André Júlio Teixeira, o homem por detrás de de Turquoise, apresenta a sua primeira criação editada a solo e nós estivemos à conversa para o conhecer melhor.

Palco das Artes: Para quem não te conhece ainda, quem é André Júlio Teixeira?

André Júlio Teixeira: Sou natural de Vila do Conde, onde vivi até aos meus 20 anos. Comecei a estudar Guitarra aos 10 anos de idade. O meu percurso escolar foi turbulento no ensino obrigatório. Hoje vivo bem com isso mas considero que perdi muito tempo a aprender inutilmente. O ensino em geral no nosso país está umas décadas atrasado. Ainda se usam dogmas do tempo do Salazar. Felizmente sempre fui mantendo paralelamente o estudo da música e das artes plásticas.

Estudei depois, saxofone, percussão clássica e bateria. Dos 14 até aos 23 anos de idade tive perto de 20 bandas, sendo membro fundador de mais de uma dezena delas. Mas tarde descobri o Teatro, o que me alavancou a possibilidade de estudar na Esmae – Escola Superior de Música e Artes do Espetáculo. Aí profissionalizei-me nos estudos de Teatro, e paralelamente desenvolvi novos projetos de música também. Trabalhei com diversas companhias de teatro em todo o país, como actor, cantor, músico e compositor. Hoje divido o meu tempo entre França e Portugal, com projetos desenvolvidos em ambos os países sempre envolvendo a música, o teatro, o cinema e artes performativas em geral, e tenho tido o privilégio de conhecer o mundo a fazê-lo. Posso dizer aos 30 anos de idade, que sou uma pessoa realizada e feliz. Muito mais está para vir!

PsA: de Turquoise, qual a simbologia por detrás deste pseudónimo?

AJT: Duas razões. Pela cor azul turquesa, símbolo de plenitude. E do Francês, por ser uma cultura que foi e continua a ser uma força motriz que me emancipa enquanto Artista.

PdA: Quais são as tuas principais fontes de inspiração, influências…?

AJT: Na música, hoje, há uma imensidão. Desde novo, tive bandas de Punk Rock, Grunge, New Metal, Rock progressivo, Funk & Soul, Jazz, World Music. Hoje tudo isso faz parte de mim. Tudo me inspira. Tenho uma preferência hoje em dia, para o universo do Jazz, pela complexidade e abrangência que oferece enquanto música. A riqueza rítmica e harmónica é infinita, é a melhor escola, quando aliada a tudo o resto. Como guitarrista desenvolvi muito nos últimos anos o fingerstyle e mantenho-me activo no estudo da música clássica, flamenco, Folk, Bossa nova, Jazz, entre outros.

PdA: Um homem e uma guitarra, onde pensas que de Turquoise vai chegar e qual o estatuto que pretendes alcançar?

AJT: Não sei onde vou chegar, e acho que a piada de continuar em frente é precisamente a de não saber. Mas se imaginar um futuro, penso numa estabilidade financeira (óbvio), e uma casa na montanha, com um alpendre com vista para o horizonte.

PdA: “Camomila” é o teu mais recente EP, o que nos podes dizer sobre ele?

AJT: “Camomila” foi a alavanca para “de turquoise”. Estou muito agradecido à MEMO por me ter impulsionado neste sentido. É o primeiro EP lançado a solo. Eu como autor sou suspeito, no que poderia dizer sobre isto. Há um lado muito pessoal, de descoberta, de erros e fragilidades. De a cima de tudo, aprendizagem. É o primeiro de muitos. O que me podem dizer vocês sobre ele?

PdA: Já há datas de apresentação?

AJT: Até ao final de 2017, no mês de Dezembro, vou estar dia 7 no Maus Hábitos, Porto, dia 8 no Café Schmits, Póvoa de Varzim, dia 16 no CCOB, Barcelos. Em Janeiro há um tour por França, onde vou estar em cidades como, Clermont Ferrand, Toulouse, Paris, entre outras.


Entrevista: Mónica Ferreira

Comentários
Top

Este site utiliza cookies próprios e da Google para personalizar conteúdo e anúncios, funcionalidades de redes sociais e análise de tráfego. A informação contida nestes cookies pode ser partilhada com os nossos parceiros fornecedores das funcionalidades descritas atrás. Ao navegar neste site, estará a consentir a utilização destes cookies. Saiba mais sobre o uso de cookies.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

X