No balanço do segundo Festival DDD – Dias da Dança que, desde a sua primeira edição, se tornou o maior festival de dança contemporânea do país, a organização apurou uma taxa de ocupação de 90%.

Ao longo de 17 dias, uma verdadeira maratona de dança estendeu-se pelas cidades do Porto, Matosinhos e Gaia numa programação que incluiu espetáculos de palco, muitos deles em estreia (DDD IN), projetos pensados para espaço público (DDD OUT) e inúmeras atividades paralelas (DDD EXTRA). Dos 35 espetáculos do festival, 26 sessões estiveram completamente esgotadas, incluindo os dois espetáculos do novo parceiro do Festival, o Teatro Bolhão, e também o de encerramento do Coliseu Porto com 1297 espetadores. Já DDD EXTRA contou com perto de 2400 participantes em todas as atividades (encontros, masterclasses e workshops, conversas pós-espetáculo, sessões de cinema, sessões para escolas e festas no Meeting Point).

O Festival DDD acolheu mais de 285 elementos de equipas artísticas cerca de 40 programadores portugueses e de várias latitudes, incluindo da Ásia e Américas e três jornalistas internacionais da especialidade.

A organização aponta a data para o próximo ano, decorrerá de 25 de abril a 5 de maio, e avança dois nomes, a peça da coreógrafa marroquina Bouchra Ouizguen para a Carte Blanche, Companhia Nacional de Dança Contemporânea da Noruega, bem como a nova criação de Olga Roriz.

Comentários