O novo disco de Carla Bruni, intitulado “French Touch”, chega a 6 de outubro. O primeiro single é uma versão de “Enjoy the Silence”, dos Depeche Mode.

A aclamada cantautora Carla Bruni acaba de anunciar o lançamento do seu 5.º álbum de estúdio, uma coleção de versões de canções em inglês produzidas pelo lendário produtor, compositor e músico David Foster, intitulado “French Touch”, que será editado a 6 de outubro. Já está disponível o vídeo do primeiro single, uma versão despida e intimista do clássico de 1990 dos Depeche Mode, “Enjoy the Silence”. A canção está disponível em todos os serviços digitais e de streaming.

Desde a sua juventude que Carla Bruni colecionou canções sentimentais de todas as eras – canções pop para sempre associadas a uma pessoa, a um lugar ou a um momento, o tipo de discos que, como diz a cantora, e recorrendo ao termo francês para amor à primeira vista, “foram um coup de foudre”.

O álbum dá credibilidade ao seu título, ricamente melódico, quente, mas minimalista, e muitas vezes algo brincalhão – todas as versões deste disco foram alvo de um “French Touch”, mantendo, ao mesmo tempo, o apelo universal dos originais, embora com um sabor sensual muito próprio.

É o que acontece com o primeiro single, “Enjoy the Silence”. O clássico pop e algo negro dos Depeche Mode é o tipo de hino que a maioria dos músicos não se atreveria de tocar – “uma canção que não precisa de uma versão”, como Bruni afirma –no entanto o “French Touch” que lhe é dado é algo de muito especial. A nova versão despe todo o aparato gótico do original e redu-lo à sua essência: uma balada simples e sentimental, uma meditação emotiva. A canção foi reimaginada para guitarra, piano e para a voz característica de Bruni, numa versão onde o silêncio é para ser desfrutado.

“French Touch” é quente e familiar e, inevitavelmente, Carla. Em breve serão revelados mais detalhes quanto a este álbum.

Carla Bruni compõe e dá concertos desde 1997, tendo-se estreado com “Quelqu’un m’a dit”, o seu primeiro álbum, lançado em 2002. Desde então já teve mais três discos aclamados pela crítica, vendendo mais de 3 milhões de álbuns mundialmente, incluindo “No Promises” (2007), “Comme di de rien n’était” (2008) e “Little French Songs” (2013).

Comentários