A produção austríaca “O Mal-Entendido”,  parte da obra de Albert Camus criando uma atmosfera assombrosa onde as marionetas ganham vida, estreia no Porto a 19 de outubro.

“Um filho que quer dar-se a conhecer sem ter de dizer o seu nome e que é morto pela mãe e pela irmã, na sequência de um mal-entendido, eis o tema da peça em questão”. É assim que Albert Camus descreve a sua peça O Mal-Entendido, escrita em 1941, na França ocupada pela II Guerra Mundial.

Mais de setenta anos volvidos, Nikolaus Habjan (ator, encenador e marionetista austríaco) sentiu-se fascinado pelo apelo do dramaturgo franco-argelino em refletir sobre o destino humano, tendo estreado o espetáculo homónimo em 2014, na Áustria. O Mal-Entendido chega agora a Portugal, sendo apresentado entre 19 e 22 de outubro, no Teatro Nacional São João (TNSJ), no Porto.

Em O Mal-Entendido, há uma atmosfera assombrosa com um lacónico dispositivo cenográfico – uma rampa e uma maqueta de uma casa –, habitado por três atores que manipulam marionetas em tamanho real. Estes bonecos têm rostos com capacidade de exprimirem todas as emoções, pondo em cena uma tragédia moderna protagonizada por Jan, o filho pródigo que regressa a casa e acaba por se revelar um estranho no interior da sua própria família.

Ainda que a peça possa ter uma visão muito pessimista da condição humana, Camus acredita que isso “pode ser conciliado com um otimismo relativo no que diz respeito ao homem”.

No espetáculo, atores e marionetas são duplos de si mesmos e colocam em movimento um inquietante jogo de espelhos. Para Nikolaus Habjan, utilizar esta arte de dar vida a bonecos seria, aliás, a única forma de encenar a peça de Albert Camus de forma verdadeiramente credível, já que “a marioneta tem o potencial de transmitir mais força a uma personagem”.

Para o encenador, a “perceção, ou ilusão que o espectador engendra na sua própria cabeça, é emocionalmente mais poderosa do que aquela que um ator ou atriz de carne e osso pode alguma vez reproduzir”. O austríaco acrescenta até que “não há morte mais verdadeira em palco do que a morte de uma marioneta”.

O Mal-Entendido – também uma reflexão sobre a condição dos refugiados que hoje, tal como na II Guerra Mundial, procuram um porto de abrigo – é uma produção Schauspielhaus Graz. Foi apresentada no Volkstheater Wien, o segundo maior teatro de Viena que se tornou, em 2015, membro da União dos Teatros da Europa – organização que congrega alguns dos mais importantes teatros públicos europeus e da qual o TNSJ faz parte. O espetáculo é interpretado em língua alemã, sendo legendado em português, e é para maiores de 12 anos.

Pode ser visto na quinta e sexta-feira, às 21h00, no sábado, às 19h00, e no domingo, às 16h00. O preço dos bilhetes varia entre os 7,50 euros e os 16 euros.

Comentários