“Amazónia” é a mais recente peça da companhia mala voadora que, após a sua estreia no passado dia 9, chega ao Theatro Circo a 24 e 25 de novembro (21h30).

Coprodução do Theatro Circo, São Luiz Teatro Municipal e Teatro Municipal do Porto Rivoli/ Campo Alegre, “Amazónia” relata a experiência de um grupo de pessoas a criar “uma novela ecológica” na floresta amazónica.

Sucessora de “Moçambique”, peça da mala voadora distinguida como Melhor Espetáculo do ano pela Sociedade Portuguesa de Autores, “Amazónia” coloca em cena um grupo de pessoas que tenta fazer uma telenovela sobre a causa ecológica e que, no processo, acaba por destruir a própria Amazónia.

Com encenação de Jorge Andrade, “Amazónia” leva mais longe o conceito de ecologia e concretiza-se com base em princípios rigorosos de poupança de matéria-prima. «Em vez de inventarmos coisas novas, vamos reciclar aquilo que já existe: pedir um cenário emprestado, um desenho de luz emprestado, colar músicas que já existem, repetir ideias de outros espetáculos para não desperdiçar, emitir sons simples em vez de palavras, fazer várias vezes a mesma cena em vez de estar sempre a criar cenas novas», pode ler-se na apresentação do espetáculo.

Protagonizada pelas mesmas personagens que deram vida a “Moçambique”, a ação de “Amazónia” implica 3 narrativas – a longa História dos empreendimentos levados a cabo na Amazónia, a história do grupo de artistas que vai para a Amazónia fazer uma novela ecológica, e o enredo da novela –, mas elas vão misturar-se.

A mala voadora foi fundada em 2003 por Jorge Andrade (encenador, ator e dramaturgo) e José Capela (cenógrafo e arquiteto), responsáveis pela direção artística, aos quais se juntaram, em 2013, Vânia Rodrigues como coordenadora de gestão e programação, e Joana Costa Santos agora responsável pela direção de produção. Para além de Portugal, a mala voadora apresentou espetáculos em: Alemanha, Bélgica, Bósnia-Herzegovina, Brasil, Cabo Verde, Escócia, Estados Unidos da América, Finlândia, França, Grécia, Inglaterra, Líbano e Polónia.

Ingressos, a 10 euros (Cartão Quadrilátero: 5 euros) disponíveis em www.theatrocirco.bol.pt, na bilheteira do Theatro Circo, lojas Fnac e estações CTT aderentes.

Comentários